Setor pede a manutenção da pasta e indicação de nome técnico escolhido pelo trade turístico

Foto: Reprodução

Após especulação de que o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) teria planos de extinguir a Goiás Turismo, o setor se organizou e elaborou um documento solicitando a manutenção da estrutura atual. O movimento que reúne mais de 10 mil empresas de todo o estado também pede que Fabrício Amaral, nome técnico indicado pelo trade turístico, seja escolhido para comandar a pasta.

O governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) afirmou nesta quarta-feira, 26, que está analisando a situação da Goiás Turismo. “Alguns acham que ela teria um status de secretaria outros acham que não é necessário por não ter vinculação com um ministério, em Brasília, especificamente nessa área. Neste momento, nossa equipe está fazendo esses estudos técnicos e um comparativo com o cenário federal”, disse Caiado.

Carta ao governador

Fabrício Amaral explicou que o setor se organizou logo após as eleições e lembrou que, em sabatina realizada no período eleitoral, os então candidatos se mostraram comprometidos com o desenvolvimento do turismo em Goiás. Fabrício disse ainda que, no encontro, o senador Ronaldo Caiado (DEM) defendeu a necessidade de um perfil técnico à frente da Goiás Turismo.

“O setor no estado inteiro se organizou em defesa da permanência administrativa da Goiás Turismo, que hoje é uma autarquia, pois essa formatação garante autonomia administrativa, financeira e a possibilidade de captação de recursos federais. Para o setor, transformar a Goiás Turismo em uma subsecretaria ou trazê-la para a administração direta acarretará prejuízos de toda ordem”, explicou.

Segundo Fabrício Amaral, não existe nada de concreto sobre a extinção da pasta, mas em função do ajuste fiscal o setor resolveu se antecipar e mostrar ao governador eleito que essa ideia de extinção não é um bom negócio, uma vez que o turismo, com pouco investimento, dá muito retorno financeiro, gera empregos, entre outros vários benefícios.

O gerente de projetos e produtos turísticos, João Lino, afirmou que a Goiás Turismo e todos que atuam no setor enxergam essa possível mudança com muita preocupação, tendo em vista que o turismo tem contribuído de forma positiva nos últimos anos com o desenvolvimento do estado.

“A atividade turística tem essa capacidade de promover o desenvolvimento em cima das vocações regionais. Então acreditamos muito que, de forma estratégica, o turismo tem muito a contribuir com a retomada do crescimento do estado com a geração de emprego e renda, e atuando de forma muito precisa em uma cadeia produtiva com mais de 60 seguimentos”, disse.

Para João Lino, quando houve a especulação de que pudesse ocorrer a extinção ou junção da Goiás Turismo com a Indústria e Comércio, começou essa movimentação. “Na verdade, na campanha, as entidades do trade turístico tiveram um encontro com os candidatos e todos sinalizaram entendimento da necessidade e importância do turismo para o estado”.

“Mas acredito na visão estratégica do governador eleito. Ele já sinalizou em vários discursos seu posicionamento em relação ao turismo e acreditamos que ele terá essa sensibilidade. O trade também está em contato com a assessoria de Caiado que sinalizou que isso não acontecerá. Na próxima semana teremos um encontro, provavelmente dia 28, e esperamos que ele mantenha a Goiás Turismo”, finalizou João Lino.