Caiado diz que decisão do STF que resultou na soltura de Lula é uma “frustração”

Na visão do democrata, Congresso Nacional deve caminhar com “celeridade” para definir que a segunda instância seja suficiente 

Foto: Reprodução

Em entrevista concedida na manhã deste sábado, 8, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), repercutiu a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que culminou na soltura do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. O petista estava preso desde abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

Na visão do democrata, a decisão representa uma “frustração enorme” para grande maioria da população brasileira. “Mas acredito que o Congresso Nacional deve caminhar com celeridade com uma PEC [Proposta de Emenda à Constituição] para definir que a segunda instância seja suficiente para que uma pessoa seja penalizada pelo crime praticado”, completou.

Caiado avalia que, na maioria das vezes, aguardar o trânsito em julgado de um processo só serve para “procrastinar” o ato da prisão. “Isso cria cada vez mais uma situação de insegurança perante a sociedade que acha que o crime continuará impune”.

Para ele, “a população vai se questionando se somente as pessoas com bons advogados e estrutura financeira adequada conseguem arrastar um processo e ter dinheiro suficiente para se manterem impune diante da legislação brasileira”. Caiado enfatizou, ainda, que o fator determinante não deve ser a condição financeira do cidadão e sim o crime que ele cometeu.

Sérgio Moro

O governador também destacou que o ex-juiz e atual ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Sergio Moro, mostrou ao Brasil, à época, que o crime estava sendo “atacado” atingindo aqueles que eram “os mais poderosos”. “Aqueles que ninguém imaginava que a Justiça seria capaz de alcança-los”, completou.

“Essa esperança não pode ser quebrada, caso contrário o cidadão não vai mais acreditar na Justiça. Qual cidadão humilde ou de classe medida que consegue ter advogado de milhões para levar o processo até a última instancia, com todos os recursos? Então isso [a decisão] é péssima do ponto de vista da sociedade”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.