Caiado defende aumento de imposto, pedágio e cobrança de estacionamento em plano

Medidas, segundo o texto, seriam forma de financiar políticas públicas de mobilidade urbana

Divulgação

Maior texto apresentado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) entre os principais candidatos ao governo de Goiás, o plano de governo do candidato do DEM, senador Ronaldo Caiado (DEM), traz pontos polêmicos. Entre eles, o democrata defende o aumento de imposto, pedágio e cobrança de estacionamento como “forma de financiar políticas públicas de mobilidade urbana”.

O item 4 da seção de mobilidade, que começa na página 83, diz: “Definir novas fontes de financiamento do setor por meio de mecanismos alternativos como a constituição de fundos específicos, a tarifação de combustíveis e do uso da da via, a cobrança de estacionamentos, dentre outros, de forma que o usuário pagamento não seja o único responsável pela sustentabilidade financeira do transporte público”.

Conforme mostrou o Jornal Opção, o plano de governo protocolado por Caiado possui 107 páginas e conta com sete princípios fundamentais, entre eles combate à corrupção e diretrizes gerais que englobam programas basilares; integração regional e governamental; e valores de governança.

Apesar de mais extenso, as propostas estão em menos de 50% das páginas, que incluem contexto histórico a cada tema e ataques à atual gestão.

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Simar

Isso é Brasil. Nossos políticos só querem dilapidar o patrimônio público e esse senhor quer também aumentar a carga de impostos e taxas para o povo pagar. Nem faz questão de esconder suas verdadeiras intenções: lascar a vida do povo.

Pedro

Aumentar imposto a população não aguenta mais, ninguem merece ouvir essas proprostas indecentes. O povo brasileiro já esta gastando mais com impostos do que com alimentação, saúde e bens basicos para sobrevivencia. Vamos pensar em tributar as grandes fortunas.