Caiado aposta na Celg GT para solucionar crise energética em Goiás

Em reunião com a bancada goiana, governador falou da possibilidade de usar empresa para reduzir danos causados pela Enel

Foto: Reprodução

Em reunião com a bancada goiana no Congresso Nacional, o governador Ronaldo Caiado discutiu a possibilidade de usar a Celg GT, de forma emergencial, para atuar na distribuição de energia no Estado. O encontro  realizado nesta terça-feira, 6, em Brasília, teve como pauta a busca de soluções para a crise energética causada pela ineficiência da Enel. 

A Celg GT, que é uma geradora de energia, se encarregaria de investir também na rede de distribuição com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Sustentável (BNDES). A empresa que cuida da geração teria acesso à rede da Enel e passaria a ter a responsabilidade de fazer as ampliações necessárias. Para isso, o BNDES daria uma linha de crédito de até R$ 2 bilhões.

Com esse investimento na rede, 480 megawatts seriam recuperados, dentro de uma ação emergencial. Em contrapartida, a Enel deverá aumentar a parte da tarifa que hoje é transferida para a Celg GT, de forma proporcional ao investimento realizado. “Haveria um reequilíbrio na repartição dessa tarifa. Assim a Celg GT recuperaria o investimento, sendo ressarcida ao longo do tempo”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima.

A reunião com a bancada foi realizada logo após o encontro do governador com o presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Rodrigo Maia, e com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Em busca de apoio

Após as reuniões realizadas com Maia, Bento e os deputados e senadores, o governador avaliou que o Governo de Goiás está avançando na solução do caso. “Foi uma reunião extremamente produtiva. Primeiro porque discutimos uma realidade do nosso Estado de Goiás e que tem nos inquietado enormemente. Hoje pela manhã estive também com o Ministro de Minas e Energia [Bento Albuquerque] e estamos avançando em uma proposta que vai ficar difícil para a Enel recusar aquilo que Goiás propõe”, disse, ao se referir à Celg GT.

Para o sucesso da proposta, a bancada goiana na Câmara dos Deputados e no Senado é fundamental. Em reunião com os parlamentares, o governador reforçou a importância do apoio dos parlamentares na solução do caso. Os próximos passos serão a formalização da proposta e a espera pelo posicionamento da Enel. A bancada e o governador ainda devem se reunir com o presidente Bolsonaro para discutir o assunto.

A reportagem entrou em contato com a Enel que não quis se posicionar sobre o assunto. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.