Caçambeiros criticam omissão da prefeitura e revindicam local apropriado para descarte de entulho

Representante da categoria diz que, se a situação não for resolvida, motoristas irão se mobilizar e “parar a cidade” 

Foto: Reprodução

Motoristas de caminhões caçamba basculantes estão sendo “penalizados” pela Prefeitura de Goiânia e Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma). O relato é do representante da categoria, Ulysses Borges, que disse à reportagem que o Poder Público insiste em aplicar multas, apreender veículos, ao passo que “a prefeitura permanece omissa em apresentar um local ideal para descarte do entulho”.

Em nome dos mais de 800 caçambeiros de Goiânia, Ulysses diz que “a Prefeitura precisa entender que só existe esse descarte (tido como ilegal), porque eles não nos oferecem um local apropriado. Precisamos trabalhar e a construção civil não pode parar”, defendeu. 

Segundo o representante, em audiência pública ocorrida na última quinta-feira, 16, na Câmara Municipal de Goiânia, o vereador Paulo Daher (DEM) se propôs a articular uma reunião com o prefeito Iris Rezende (MDB) para discutir a questão.

Nesta terça-feira, 21, três dos representantes do grupo estiveram na Amma para dialogar sobre o assunto. Borges adiantou, ainda, que se o descaso continuar, o caçambeiros devem organizar um protesto. “Vamos realizar uma mobilização e utilizar nossos caminhões para parar a cidade”. 

A multa aplicada aos motoristas que transportam entulho de construção civil varia, segundo ele, de R$ 5 mil a R$ 15 mil. “Eu já paguei uma multa no valor de R$ 10 mil. Por isso resolvi me unir à classe e brigar por nossos direitos. Nosso entulho não é lixo, é material de construção civil e a construção não pode parar”. Procurada, a Prefeitura de Goiânia não respondeu aos nossos questionamentos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.