Buscas por Lázaro chegam ao fim do 12º dia com o reforço de mais cinco cães

Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-GO) ainda solicitou que, qualquer informação relevante que a população saiba acerca do caso, deve entrar em contato através do disque denúncia criado especialmente para esta operação

12º dia de buscas por Lázaro Barbosa conta com quase 300 policiais e 5 cães | Foto: Reprodução

As buscas por Lázaro Barbosa continuam neste domingo, 20, 12º dia de procura pelo homem foragido. Além dos agentes das polícias militar e civil de Goiás e do Distrito Federal, da Polícia Federal e Rodoviária Federal, e da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DPOE-DF), hoje a operação foi reforçada e contou com cinco cães – tendo sido reforçada com dois do Corpo de Bombeiros de Goiás, incluindo a cadela Cristal, que atuou no acidente de Brumadinho, Minas Gerais, em 2019.

Ao todo, são mais de 270 profissionais na busca pelo fugitivo. Lázaro Barbosa de Sousa é autor de chacina que ocorreu no Incra 9, em Ceilândia, na última quarta-feira, 9. Além disso, o homem já possui histórico de crimes e já foi preso, em 2018, mas fugiu do presídio em julho do mesmo ano. Lázaro também foi condenado por homicídio cometido na Bahia e tem mandado de prisão em aberto por roubo, estupro e porte ilegal de armas, no Distrito Federal.

Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-GO) ainda solicitou que, qualquer informação relevante que a população saiba acerca do caso, deve entrar em contato através do disque denúncia criado especialmente para esta operação. Para relatar, basta entrar em contato através do número (061) 9 9839-5284.

Linha do tempo da investigação

Durante o crime em Ceilândia, Lázaro invadiu a chácara de Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, que morava com a esposa, Cleonice Marques Andrade, e os filhos Gustavo Marques Vidal e Carlos Eduardo Marques Vidal. Ao perceber que a esposa de Cláudio estava tentando ligar para um familiar para relatar o caso, Lázaro teria matado o homem, os dois filhos e fugido com Cleonice.

No dia seguinte, o suspeito ainda teria invadido outra chácara que se localiza a 3km do terreno de Cláudio. Silvia Campos, proprietária do local, afirmou à polícia ter ficado mais de três horas sobre a mira de Lázaro e ter sido obrigada pelo autor, junto ao caseiro, a usarem maconha. Ao fim, Lázaro teria fugido da segunda chácara com dinheiro, celulares e uma jaqueta. Na sexta feira, ele roubou um carro, se dirigiu à Cocalzinho de Goiás e logo queimou o veículo. Durante o fim de semana, no sábado ele invadiu uma fazenda, atirou em três pessoas e colocou fogo em uma casa. Já no domingo, furtou um carro para fugir da polícia e foi visto na BR-070, mas abandonou o veículo.

Já na segunda-feira, 14, ele também foi filmado por câmeras de monitoramento de um galpão de uma chácara, local onde teria dormido e pedido comida aos moradores antes de emplacar outra fuga. Um dia após Lázaro ter sido filmado pela moradora de uma fazenda durante as buscas policiais, de ter sequestrado uma família (que foi posteriormente liberada) e ter atirado em agentes que foram atingidos de razão, na última quarta-feira, 16, o suspeito foi visto em uma área rural por um morador. Ao todo, nesta quinta-feira, 17, o suspeito fez duas aparições e teve um confronto com os policiais. Uma casa abandonada ainda foi incendiada e, apesar das suspeitas de ter relação com Lázaro, a polícia ainda não conseguiu comprovar a ligação.

Na última sexta-feira, 18, um caseiro morador da região de Cocalzinho de Goiás, relatou que Lázaro teria invadido a fazenda de um vizinho e roubado itens da casa como carregador de celular, queijo e R$ 30. Pouco depois, teria sido visto em uma mata próxima, e a equipe policial foi chamada. No entanto, somente um rastro de sapato foi encontrado. Já na noite deste sábado, 19, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) avistou Lázaro Barbosa de helicóptero em uma mata localizada próxima de Cocalzinho de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.