Brasileira encontrada morta em rio na Austrália pode ter sido assassinada

O corpo de Cecilia Haddad, de 38 anos, foi encontrado último domingo (29/4) na cidade de Sydney. Polícia investiga suspeito

A executiva brasileira Cecilia Haddad | Foto: Reprodução

A empresária brasileira Cecilia Haddad, de 38 anos, foi encontrada morta em um rio na cidade de Sydney, na Austrália, na manhã deste domingo (29/4). A causa da morte ainda não foi determinada por autópsia, mas a polícia já investiga o caso como homicídio, já que não houve sinais de que possa ter sido acidente ou suicídio.

Cecilia foi vista pela última vez na noite da última sexta-feira (27/4) em um churrasco. A empresária também conversou com amigos por telefone no dia seguinte, pela manhã. A polícia foi informada do desaparecimento após Cecilia não comparecer a vários encontros no sábado e domingo e não atender a telefonemas.

A estação de trem de West Ryde em que a polícia encontrou o carro Fiat 500 Sedan de Cecilia e o rio Lane Cove em que canoístas encontraram o corpo ficam próximos de sua residência no bairro de classe média alta Ryde.

O departamento de homicídios da polícia do Estado de New South Wales afirmou que já tem imagens de Cecilia Haddad em câmeras de segurança pouco antes de seu desaparecimento e está entrevistando vizinhos e colegas em dois Estados do país. Também estiveram em contato com a mãe da vítima no Brasil,  Milu Muller Haddad, que está a caminho da Austrália.

Milu Muller, que mora no Rio de Janeiro, respondeu por e-mail a perguntas do jornal “Sydney Morning Herald” e disse que “adoraria estar lá, com a amada e adorada filha, mas eu fez uma cirurgia cardíaca e ainda não teve permissão do médico para voos longos”.

“Quero que as pessoas saibam que Cecilia sempre foi uma garota talentosa e inteligente, com um coração puro. Ela não acreditava que as pessoas fossem cruéis e egoístas. Ela sempre perdoou e deu às pessoas mais uma chance. Eu acho que ela era boa demais para este mundo”. Milu declarou que tem certeza de que sua filha foi assassinada. Ela escreveu que “talvez se eles prenderem o assassino, eu possa ter algum alívio. Façam tudo para ajudar a pegar o monstro que fez isso”.

Suspeito

A polícia local tem como suspeito um ex-namorado de Cecilia, Mario Marcelo Santoro, que seria interrogado, por que estava na Austrália no final de semana em que a empresária foi encontrada morta. Porém, o homem retornou ao Brasil nos últimos dias. Os agentes do país estrangeiro pediram ajuda da Polícia Federal (PF) para localizar Mario.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.