Bolsonaro usa Twitter para defender excludente de ilicitude para forças de segurança pública 

“Quando um governador pede GLO é porque ele não mais consegue manter a ordem com seus meios. A tropa da GLO não é para fazer relações públicas, ela vai para se impor”, justifica o presidente 

Presidente Jair Bolsonaro (PSL) / Foto: Reprodução/Internet

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou o Twitter, na manhã desta segunda-feira, 25, para justificar a  necessidade de aprovação do texto, de autoria do Executivo, que prevê estabelecer o excludente de ilicitude para operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

De acordo com o presidente, “quando um governador pede GLO é porque ele não mais consegue manter a ordem com seus meios. A tropa da GLO não é para fazer relações públicas, ela vai para se impor, conter ações terroristas, depredação de bens, queima de ônibus, evitar que inocentes morram, etc”, escreveu.

Em outro post, o presidente continuou: “No mais, para enfrentar a esses marginais, é que se faz necessário o Excludente de Ilicitude. Os integrantes das FFAA, PF, PM, PRF, PFF, PCivil e CBM merecem, em operação, zelar pela própria vida e sua liberdade após o cumprimento da missão”, finalizou.

Bolsonaro tomou a inciativa de falar sobre o assunto nas redes sociais após o jornal O Globo publicar uma reportagem que diz respeito ao possível destino do projeto de Lei no Legislativo.  O texto destaca que líderes de partidos do centrão e de outras legendas tendem a barrar a proposta por temerem que a aprovação do texto crie uma espécie de “licença para matar”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.