Bolsonaro recua de medida que permite suspensão de contratos de trabalho por 4 meses

Medida foi vista com reprovação por grande parte da população, que utilizou as redes sociais para se manifestarem contra a decisão do presidente. Parlamentares também criticaram

O pedido de impeachment contra o presidente foi apresentado na Câmara dos Deputados / Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro já revogou, nesta segunda-feira, 23, o trecho da medida provisória que autorizava empresas a suspenderem contratos de trabalho por 4 meses. O dispositivo havia sido publicado no Diário Oficial da União, no artigo 18.

Parlamentares, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e Marcelo Freixo (PSOL) já haviam se posicionado contra a MP. “O que está publicado diverge do que conversamos na semana passada”, disse Maia à Exame. “A MP tem coisa boa, mas causou pânico com essa questão da suspensão do emprego”, afirmou. Pelo twitter, o deputado federal pelo Rio de Janeiro, Marcelo Freixo, contou que já havia acionado o Supremo Tribunal Federal (STF) contra a medida, que chamou de “MP do extermínio”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.