Principal aliada de Jair Bolsonaro em Goiás, deputada federal Magda Mofatto afirma que a preocupação do presidente é com a própria candidatura

Para a deputada federal Magda Mofatto (PL), o presidente Jair Bolsonaro (PL) está preocupado com a campanha dele e não com a corrida eleitoral em Goiás. “Cada um se preocupa com a sua campanha”. A resposta se deu depois de ser questionada se Bolsonaro estava insatisfeito com o apoio do Partido Liberal goiano – presidido pelo marido dela, Flávio Canedo – a Gustavo Mendanha (sem partido), como pré-candidato ao governo do Estado, e não ao deputado federal Major Vítor Hugo (União Brasil), um dos principais bolsonaristas do país, considerado aliado de primeira hora do presidente e que teria a preferência do próprio Bolsonaro e da Executiva Nacional do PL na disputa pelo Palácio das Esmeraldas.

Como mostrou o Jornal Opção, Vítor Hugo pretende se lançar ainda este mês, e ao lado de Bolsonaro, como pré-candidato ao Governo de Goiás. Ele também vai se filiar ao PL e passará a ser correligionário do presidente e da deputada. Mofatto, no entanto, afirma que o presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, está comprometido com a defesa da candidatura de Gustavo Mendanha, que esteve este final de semana em Brasília, ao lado dela, em busca de apoio do presidente. “Quem tem que se preocupar com a campanha de Mendanha somos nós, que estamos aqui em Goiás”, sublinha.

Apesar de Vítor garantir que Bolsonaro já se decidiu pelo nome dele, Magda afirma ainda que o partido fortalecerá os nomes de Bolsonaro e Mendanha em Goiás, pois “o PL é Bolsonaro e Mendanha”, destaca. O presidente do Partido Liberal em Goiás, Flávio Canedo, já afirmou inúmeras vezes que em Goiás o “PL é 100% Mendanha”, independente de definição partidária. Entretanto, Vítor Hugo, reafirma que é pré-candidato ao Governo de Goiás sob a benção de Bolsonaro. Mendanha, por sua vez, depois de ir à Brasília, disse que espera no próximo ano poder contribuir com Bolsonaro – uma vez que ambos sejam eleitos.

O presidente da República chegou a dizer publicamente que apoiaria o deputado federal para o cargo de governador. Com o racha entre o PL goiano e o nacional, ele depois voltou atrás e disse que era preciso medir a musculatura política de Vítor Hugo. Apesar de ainda não ter se posicionado oficialmente, nos bastidores comenta-se que, de fato, a preferência presidencial é de Vítor Hugo.