Conclusão presidencial deve ser anunciada até sexta-feira, 21. Enquanto equipe econômica vislumbra redução, lideranças partidárias insistem na manutenção de mais um repasse de R$ 600,00 e outros dois de R$ 300,00

Auxílio emergencial | Foto: Reprodução

o presidente Jair Bolsonaro deve definir até a próxima sexta-feira, 21, novos valores para o pagamento do auxílio emergencial — atualmente na casa dos R$ 600,00.

Diante do gasto elevado do governo para manutenção do auxílio, a equipe econômica de Bolsonaro insiste em reduzir o valor dos repasses. No entanto, lideranças partidárias, por outro lado, defendem que sejam pagas pelo menos mais uma parcela de R$ 600,00 e outras duas de R$ 300,00 até dezembro.

Vale lembrar que a manutenção do repasse gera um impacto aos cofres públicos na casa dos R$ 50 bilhões ao mês.

A ideia defendida por auxiliares do ministro da Economia, Paulo Guedes, é prorrogar benefício no valor de R$ 200, R$ 250 ou R$ 300 até o fim do ano a fim de construir uma transição para o Renda Brasil, programa social do governo Bolsonaro que vai substituir o Bolsa Família.

Apesar dos anseios do governo, qualquer mudança prevista para os repasses deverá ser apreciada pelos deputados e senadores no Congresso onde os valores estarão, novamente, sujeitos a alteração. Quando o programa foi criado pela equipe econômica, o prazo estimado para sua duração era de três meses. Mais tarde precisou ser prorrogado.