Bolsonaro chama manifestantes contrários de “terroristas” e pede que apoiadores não saiam ás ruas

“Lamentamos não conseguir tipificar como terrorismo suas ações no passado”, disse presidente, em referência à Lei Antiterrorismo aprovada no ano de 2016

Foto: Reprodução.

Durante live semanal desta quinta-feira, 4, o presidente Jair Bolsonaro criticou os manifestantes autodenominados antifascistas e pediu para que apoiadores do governo, que vão às ruas quase todos os finais de semana, não saiam no próximo domingo, dia 7, para evitar conflitos.

“Domingo agora, esse pessoal está marcando um movimento. Eu peço a todos aqueles que nos seguem, nos acompanham, que não participem desse movimento, fiquem em casa, vão pra outro lugar qualquer, e deixem eles mostrarem o que é democracia para eles” disse presidente.

“Eu não estou torcendo para ter quebra-quebra não, mas a história nos diz que esses marginais, de preto, que vão com soco inglês, punhal, barra de ferro, coquetel molotov, geralmente eles apedrejam, queimam bancos, queimam estações de trem e outras coisas mais. […] Um bando de marginais, muitos ali são viciados, muitos têm costumes os mais variados possíveis que não condizem com a maioria da sociedade brasileira. Eles querem tumulto, querem confronto”, continuou Bolsonaro.

Presidente ainda chamou os manifestantes contrários de “terroristas”.

“Na verdade, são terroristas. Lamentamos não conseguir tipificar como terrorismo suas ações no passado”, disse Bolsonaro, em referência à Lei Antiterrorismo (13.260), aprovada em 2016.

Uma resposta para “Bolsonaro chama manifestantes contrários de “terroristas” e pede que apoiadores não saiam ás ruas”

  1. Delnil Tadeu Cabral Batista disse:

    A polícia precisa intervir com inteligência na questão dos baderneiros. Eles são pagos pela esquerda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.