Em conversa reservada, presidente aconselhou Weintraub a ter mais cautela em relação aos posicionamentos públicos, além de abrandar discurso e não enfrentar STF

Ministro da Educação Abraham Weintraub | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em conversa reservada feita nesta segunda-feira, 15, o presidente Jair Bolsonaro disse que não abandonará Abraham Weintraub de primeira hora. Segundo informações da Folha, na ocasião o presidente chamou a atenção do ministro da Educação.

Bolsonaro ressaltou que Weintraub deve ter mais cautela em relação a posicionamentos públicos, que deve abrandar o discurso e não enfrentar o STF. No entanto, presidente não garantiu se ele permanecerá ou deixará a função.

A situação do ministro Weintraub intensificou após ele de protestos a favor de Jair Bolsonaro no domingo, 14. Sua demissão se tornou “um gesto de paz à corte”. Mesmo sem citar os ministros do STF, Weintraub usou expressões como “vagabundos” para se referir a eles.

O data da demissão ainda não foi estipulada e o presidente busca uma “saída honrosa” para ele, como um cargo no Palácio do Planalto ou uma função diplomática no exterior.