Bolsonaro acusa presidente dos Correios de sindicalismo e anuncia sua demissão

Em audiência na Câmara, o general fez críticas à privatização da estatal e posou em foto com deputados do PT e do PSOL

Foto: Divulgação

Na manhã desta sexta-feira, 14, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), anunciou a demissão do presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha. Ele chegou a dizer que o titular havia agido “como sindicalista” em ida ao Congresso Nacional. 

Bolsonaro se refere à participação do general em uma audiência pública, no dia 5 de junho. Na ocasião, Cunha fez críticas à privatização da estatal, tão defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo próprio chefe do Executivo.

“É uma empresa estratégica, autossustentável, insubstituível. Uma empresa cidadã, orgulho do Brasil”, disse o presidente dos Correios no evento, o que agradou a plateia de sindicalistas e servidores da estatal, mas, por outro lado, desagradou o Governo Federal, culminando na decisão pela exoneração do titular.

Além disso, no dia, Cunha posou para uma foto com o grupo que participava da audiência, onde estavam deputados do PT e do PSOL. A venda dos Correios é anunciada como prioridade de Bolsonaro após a aprovação das reformas. “Já dei sinal verde (…). A orientação é que a gente explique por que é necessário privatizar”, disse em entrevista recente à revista Veja.

Com isso, mais um militar deixa o Governo Bolsonaro. Na quinta, 13, foi a vez de Santos Cruz, demitido da Secretaria de Governo, e substituído pelo general do Exército Luiz Eduardo Ramos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

SILVANA MARIA LENZI

Exoneração acertada e justa… e pelo bem da restauração do Brasil….è isso mesmo!!

Adriano R. e Silva

GOLAÇO! DEFENESTRE TODOS OS QUE QUEREM MANTER EMPRESAS DEFICITÁRIAS NA NOSSA CONTA!

Lis

Quebraram o fundo de pensão e a empresa se tornou cara e ineficiente! Precisa privatizar e dar abertura para novas empresas concorrentes. Ganha o consumidor.

Milton

Esta certissimo, se não é a favor, contra.
Fora. …..

Wanderley alves

Não podemos ter adversários dentro do governo!
Dão motivos para crescer os advsarios.