Bloqueios em estradas federais estão proibidos em Goiás e outros 19 estados

Multa pode chegar a R$ 1 milhão por pessoa jurídica que apoiar a paralisação das estradas, diz Ministério da Infraestrutura

Bloqueios em estradas federais estão proibidos em Goiás e outros 19 estados | Foto: Reprodução

Em todo o Brasil, greve dos caminhoneiros prevista para esta segunda-feira, 1, ocorre normalmente, mas sem bloqueio das rodovias no começo da manhã. Isso, porque a União conseguiu 29 liminares que impedem o bloqueio das estradas em Goiás e em outros 19 estados, ainda que tentativas de bloqueios tenham ocorrido nos estados de São Paulo e Espírito Santo.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, o movimento dos caminhoneiros autônomos não registrou nenhuma “ocorrência de bloqueio parcial ou total em rodovias federais ou pontos logísticos estratégicos. Informação foi publicada pela pasta através das redes sociais. Confira:

A pasta ainda ressaltou que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) precisou escolta 25 caminhões que chegaram ao Porto de Santos durante a madrugada, uma vez que manifestantes que se localizavam na via tentaram atirar pedras nos referidos veículos.

O movimento de caminhoneiros que tentou bloquear o acesso ao porto foi dispersado pela PRF ao apresentar a liminar da Justiça, concedida pela juíza federal substituta Marina Sabino Coutinho, da 1ª Vara de São Vicente, que impede que motoristas sejam abordados. A decisão ainda estabelece multa diária de R$ 10 mil a pessoas físicas e de R$ 100 mil a pessoas jurídicas que bloquearem estradas e rodovias que ligam o Porto de Santos no dia e hoje e nos próximos sete dias.

Líderes dos caminhoneiros autônomos, no entanto, apesar de não haver registros de bloqueios, confirmam que a categoria permanece de greve. Ao portal Uol, o diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística, Carlos Alberto Litti, afirmou que a paralisação é pacífica.

“Movimento tranquilo. A categoria apoiou, ficou em casa e não está rodando. Este trajeto [da BR-285 com a ERS-342, no trevo em Ijuí, em RS] tem mais de 7.000 veículos diários. A coisa pegou, porque não dá mais para suportar. Os caminhões que ainda estão rodando, em sua minoria, ao chegarem aqui são convidados democraticamente a aderirem ao movimento”, disse.

Tanto a CNTTL, quanto a Abrava e o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) foram proibidas pela Justiça em Goiás e outros 19 estados de bloquearem estradas e rodovias federais. Segundo a pasta da Infraestrutura, além de Goiás, as 29 liminares valem nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Rondônia, Amazonas, Pará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba, Piauí e Bahia. Em caso de descumprimento, a multa pode chegar a R$ 1 milhão por pessoa jurídica que apoiar a paralisação das estradas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.