Base derruba decreto que impedia suspensão de contratos de temporários na capital

Confira como foi a votação que encerrou o imbróglio envolvendo a suspensão de contratos de professores temporários pela Prefeitura de Goiânia. Base articula contraproposta

Foto: Reprodução / Alberto Maia

Após sucessivos pedidos de diligências, a Câmara Municipal de Goiânia realizou a votação do decreto que impedia a suspensão de contratos dos professores temporários da Prefeitura de Goiânia. No Plenário, após acalorado debate, o decreto legislativo 2020/16 que susta decisão do prefeito de suspender contratos temporários acabou sendo derrubado.

Votaram pela derrubada da proposta, os vereadores Alfredo Bambu (Patriota), Andrey Azeredo (MDB), Anselmo Pereira (MDB), Carlin Café (MDB), Denício Trindade (MDB), Divino Rodrigues (Patriota), Dr. Gian (MDB), Gustavo Cruvinel (MDB), Izidio Alves (MDB), jair Diamantino (DEM), Juarez Lopes (PDT)Sargento Novandir (Republicanos), Paulo Magalhães (DEM), Tiazinho Porto (MDB), Wellington Peixoto (DEM) e Zander (Patriota).

Votaram a favor do decreto, os parlamentares Alváro da Universo ( Patriota), Anderson Bokão (DEM), Clécio Alves (MDB), Dr. Paulo Daher (DEM), Dra. Cristina (PL), Emilson Pereira (Pode), Felisberto Tavares (Pode), Léia Klébia (PSC), Lucas Kitão (PSL), Oséias Varão (PP), Paulinho Graus (PDT), Priscilla Tejota (PSD),Rogério Cruz (Republicanos), Sabrina Garcez (PSD) e Tatiana Lemos (PC do B).

A vereadora Dra. Cristina lamentou o resultado da votação. “A base do prefeito se uniu para derrubar o decreto que invalidaria a decisão da administração pública de suspender os contratos de quase 4 mil profissionais. Uma vergonha para essa Casa!”, disse. Sabrina disse que a decisão foi apertada, mas a Câmara se acovardou. “Vou me reunir com as outras vereadoras para buscar outras saídas jurídicas ou legislativas para garantir os salários desses servidores”, disse

Já parlamentares da base pontuaram que a suspensão do decreto poderia culminar na demissão dos servidores, portanto a suspensão dos contratos seria o melhor caminho neste momento de pandemia. Neste sentido, foi apresentada proposta que permite a prorrogação dos contratados temporários por igual período ao tempo que perdurar a situação de calamidade pública na capital. “A medida visa garantir que estes profissionais tenham seu contratos cumpridos pelo período de tempo que foram contratados”, argumentou o autor da proposta Denício Trindade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.