Bancada goiana foi 100% favorável ao pacote anticrime

Parlamentar afirma que processo de convencimento da bancada do PT e da bancada da bala foi extremamente difícil: “Cinco horas de negociação”

Foto: Agência Câmara

Os deputados goianos foram unânimes ao votarem pela aprovação do pacote anticrime. Inclusive parlamentares de esquerda como Rubens Otoni (PT) e Elias Vaz (PSB). Entre os pontos aprovados estão o aumento de 30 para 40 anos no tempo máximo de cumprimento da pena de prisão no país; o aumento de 6 anos a 20 anos de reclusão para 12 anos a 30 anos de reclusão a pena para o homicídio simples, se envolver arma de fogo de uso restrito ou proibido.

Temas polêmicos, como a definição de que não há crime se a lesão ou morte é causada por forte medo (o chamado excludente de ilicitude), foram retirados pelo grupo de trabalho que avaliou várias propostas, entre as quais a apresentada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e a do ministro da Justiça, Sergio Moro.

Para Rubens Otoni, do PT, a aprovação do texto foi uma grande vitória da esquerda. “Aprovamos um projeto anticrime sem as ilegalidades apresentadas pelo governo federal”, defendeu. “Retirar do projeto original o excludente de ilicitude foi uma grande vitória. Incluir no projeto o ‘juizado de garantias’ foi também um grande avanço”, acrescentou o parlamentar.

Para José Nelto, do Podemos, o processo de convencimento dos parlamentares foi extremamente difícil. “Tentamos fazer um acordo com o maior número dos partidos. Conversamos cinco horas e chegamos a um consenso em torno de temas como o excludente de ilicitude que é perigoso. Poderia virar uma matança”, destaca Nelto. “O esforço foi para não deixar o projeto ficar para o ano que vem”, completou.

“A negociação com o PT e com a bancada da bala foi muito difícil”, disse o parlamentar goiano que comemorou o consenso alcançado pela bancada goiana. Em relação a Moro, o deputado disse que pediu a ele que visse a aprovação do texto como uma vitória. “Eu disse: Não veja como derrota, vamos continuar trabalhando e aprovando o ficou de fora aos poucos. A vida é assim”, explicou, ao comentar que a proposta aprovada representa cerca de 70% do projeto original de Moro.

Confira a lista de parlamentares goianos que votaram pela aprovação da proposta:

Dr. Zacharias Calil (DEM)

Jose Mario Schreiner (DEM)

Alcides Rodrigues (Patriota)

Flávia Morais (PDT)

Magda Mofatto  (PL)

Adriano do Baldy (PP)

Professor Alcides (PP)

Elias Vaz (PSB)

Francisco Jr. (PSD)

Célio Silveira (PSDB)

Rubens Otoni (PT)

João Campos (Republicano)

Lucas Vergílio (Solidariedade)

José Nelto (Podemos)

O parlamentar Glaustin da Fokus (PSC) teve um mal estar à tarde e, por orientação médica, teve que se afastar das atividades. No entanto, o deputado reiterou seu apoio ao pacote anticrime e às medidas aprovadas que vão endurecer a legislação penal, bem como o seu posicionamento a favor do combate à corrupção e à criminalidade.

O deputado Major Vitor Hugo (PSL) também não participou da votação, pois estava em viagem representando o Brasil na Assembleia Parlamentar do Tratado Antártico, em Londres. Ele também apoia o pacote anticrime. Já o deputado Delegado Waldir (PSL), está de licença médica, desde a semana passada, quando foi submetido a uma cirurgia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.