Bancada goiana em Brasília tem cinco mudanças durante a janela partidária

Dos 17 parlamentares goianos na Câmara Federal, cinco deputados mudaram de sigla no último mês

Seguindo o troca-troca partidário na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), que movimentou 28 parlamentares somente durante a “janela partidária”, 29% dos deputados federais por Goiás mudaram de sigla. Ao todo, cinco deputados escolheram estar em outras legendas. São eles: Célio Silveira, eleito pelo PSDB e trocou a sigla pelo MDB; Zé Mário Schreiner, eleito pelo Democratas e trocou a sigla pelo MDB; Professor Alcides, que trocou o Progressistas pelo PL; Vitor Hugo, que foi eleito pelo PSL e trocou a sigla pelo PL e o deputado José Nelto, que foi eleito pelo Podemos e está próximo do Progressistas.  

Célio Silveira anunciou a filiação ao MDB no dia 1º de abril. A possibilidade, no entanto, já havia sido antecipada pelo Jornal Opção. Ele teve a ficha abonada pelo presidente do diretório regional Daniel Vilela, que é pré-candidato a vice-governadoria na chapa de Ronaldo Caiado (UB). A siglas não fez nenhum deputado federal nas eleições de 2018 e, agora, passa a contar com dois parlamentares. Com as alterações, o PL, do presidente Jair Bolsonaro, também sai maior. A sigla agora conta com a maior bancada de parlamentares no Estado: Professor Alcides, Vitor Hugo e a deputada Magda Moffato (PL). Os dois primeiros aproveitaram a janela partidária.

Na sequência aparecem o União Brasil e o MDB, com dois parlamentares. MDB com os dois novos filiados e o União Brasil com Zacharias Calil, eleito pelo Democratas, e Delegado Waldir, eleito pelo PSL. Ambos ficaram no União Brasil após a fusão entre as siglas. Em seguida está posicionado o Progressistas, que fez duas cadeiras em 2018 e deve seguir com Adriano do Baldy, eleito pela sigla, e José Nelto, que foi eleito pelo Podemos. Patriota, PSB, PDT, PSD, PSC, Republicanos, Solidariedade e PT ficaram somente com um representante.

Adriano do Baldy (Progressistas), Alcides Rodrigues (Patriota), Elias Vaz (PSB), Flávia Morais (PDT), Francisco Jr. (PSD), Glaustin da Fokus (PSC), João Campos (Republicanos), Lucas Vergílio (Solidariedade) e Rubens Otoni (PT) ficaram nas siglas pelas quais foram eleitos.  

Veja abaixo como os 17 parlamentares goianos atuaram nesta janela partidária: 

  1. Alcides Rodrigues, eleito pelo Patriota, continua na sigla; 
  2. Adriano do Baldy, eleito pelo Progressistas, continua na sigla; 
  3. Célio Silveira, eleito pelo PSDB, foi para o MDB; 
  4. Delegado Waldir, eleito pelo PSL, continuou no União Brasil mesmo após a fusão com o Democratas; 
  5. Dr. Zacharias Calil, eleito pelo Democratas, continuou no União Brasil mesmo após a fusão com o PSL; 
  6. Elias Vaz, eleito pelo PSB, continuou na sigla; 
  7. Flávia Morais, eleita pelo PDT, continuou na sigla; 
  8. Francisco Jr, eleito pelo PSD, continuou na sigla; 
  9. Glaustin da Fokus, eleito pelo PSC, continuou na sigla; 
  10. João Campos, eleito pelo Republicanos, continuou na sigla; 
  11. Zé Mário Schreiner, eleito pelo Democratas, saiu para o MDB; 
  12. José Nelto, eleito pelo Podemos, ainda está indefinido o seu destino, porém segundo informações tende a ser o Progressistas que estaria praticamente acertado; 
  13. Lucas Vergílio, eleito pelo Solidariedade, continuou na sigla; 
  14. Magda Moffato, eleita pelo PL, continou na sigla; 
  15. Professor Alcides, eleito pelo Progressistas, foi para o PL; 
  16. Rubens Otoni, eleito pelo PT, continuou na sigla; 
  17. Vitor Hugo, eleito pelo PSL, foi para o PL. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.