Balestreri elogia concurso para PM e atenção de Marconi às demandas da segurança

Secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) destacou que mais efetivo resulta em mais qualidade no atendimento à população

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), Ricardo Balestreri, afirmou nesta sexta-feira (11/5) que a realização de um novo concurso para a Polícia Militar (PM) com a oferta de mais 2 mil vagas, conforme anunciado pelo governador Marconi Perillo (PSDB), “é fundamental para a estruturação da segurança pública do Estado de Goiás”.

Destacando que há uma carência tradicional de efetivos, ele elogiou a disponibilidade e sensibilidade do governador às demandas da pasta. Segundo ele, o novo concurso vai possibilitar a melhor qualidade da segurança pública para a população goiana, “com presença mais intensa da Polícia Militar no dia a dia nas ruas e com a possibilidade de atender melhor as demandas do conjunto dos municípios goianos”.

Para Balestreri, num contexto nacional de dificuldade econômica, “este é um esforço absolutamente destacável, considerável e meritório do Governo do estado de Goiás, de oferecer mais 2 mil vagas para dar continuidade ao preenchimento das defasagens que temos em relação ao efetivo da PM”. Considerando também o próximo concurso previsto para a Polícia Militar, o governo deve elevar em 4.500 homens o efetivo da corporação

Segundo o anúncio feito pelo governo de Goiás, o novo concurso terá seu edital lançado em setembro, após a seleção final dos candidatos do certame iniciado no ano passado – programada para o próximo mês de agosto. A Segplan vai licitar em breve a empresa que realizará o novo concurso.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, a decisão do governador Marconi Perillo em realizar mais um concurso para a corporação significa que o governo está com a atenção voltada para a Segurança Pública. “O aporte de 4.500 novos homens na Polícia Militar vai permitir prestar um melhor serviço à população”, declarou ele.

Segundo ele, a partir de agora, a PM poderá atender de forma mais eficiente as demandas não só em Goiânia, mas, principalmente, nos municípios do interior do Estado. “Vamos cuidar para que a formação desses novos policiais seja feita de forma descentralizada, nas cidades menores, onde a população anseia pela presença dos policiais”, afirmou coronel Divino Alves.

Além dos concursos para provimento de vagas na Polícia Militar, o governo realiza concursos para 280 cargos de agentes de Polícia Civil substituto, 220 cargos de escrivão de Polícia Civil substituto e 250 de soldado de 3ª classe do Corpo de Bombeiros Militar. Estão sendo selecionados, também, 36 delegados de Polícia Civil, 80 oficiais da Polícia Militar e outros 30 fiscais da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon).

Os concursos públicos são parte da política de Segurança Pública implementada pelo governo, que tem como foco a valorização e o fortalecimento das forças policiais do estado. Além dos certames, o governo autorizou, no ano passado, a promoção de 3.939 oficiais e praças da Polícia Militar, 1.020 policiais da Polícia Civil, 90 oficiais e 164 praças do Corpo de Bombeiros Militar.

Entre os 3.500 aprovados na prova escrita do último concurso para a segurança pública estão 2.500 policiais militares (2.420 soldados e 80 oficiais). Neste momento, eles passam pela fase de avaliação médica e de entrega de documentos sobre a vida pregressa, com prazo até 21 de junho. Em 23 de julho será realizado o teste psicotécnico, com previsão do resultado final no dia 17 de agosto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.