Avião de FAB pousa na Polônia para repatriar brasileiros e resgatar ucranianos

Aeronave foi enviada na segunda-feira pelo Governo Federal e deve retornar nesta quinta-feira; Mais de 11 toneladas de doação humanitária foram levadas para Ucrânia

O avião de repatriação de brasileiros que estão fugindo do conflito armado entre Rússia e Ucrânia chegou hoje, 9, em Varsóvia, na Polônia. O modelo KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB) deixou Brasília na segunda-feira, 7. Dentro da aeronave também há uma carga de doação humanitária destinada à Ucrânia. O voo de volta deve chegar em Brasília amanhã, 10. Ao todo, serão repatriados 40 brasileiros que moram no país europeu e resgatar 23 ucranianos com laços de famílias no Brasil, de acordo com o coordenador da força-tarefa de resgate e repatriação do Itamaraty, ministro Unaldo Vieira de Sousa, em entrevista a jornalistas.

Intitulada “Operação Repatriação”, o avião de resgate foi configurado para receber até 72 passageiros. De acordo com o comunicado do Ministério da Defesa, a aeronave carrega 11,6 toneladas de medicamentos para atendimento emergencial, alimentos e itens de necessidade básica com tecnologia para funcionamento autônomo, utilizados em locais sem recursos e em situação extremas, como guerras e conflitos. A ação interministerial é uma integração entre as pastas da Defesa, das Relações Exteriores e da Saúde.

A missão também conta com um médico especialista para execução de protocolo sanitário, de acordo com limitações impostas pela pandemia da Covid-19. Além disso, a assistência pode ser estendida a qualquer viajante em caso de intercorrência durante a missão. Cerca de 20 mil itens médicos para assistência às vítimas foram enviados juntos ao acompanhamento médico. Elementos, como alimentos desidratados de alto teor nutritivo – 9 toneladas – e 50 purificadores de água também foram inclusas na aeronave.

No último domingo, 6, Itamaraty havia divulgado novas orientações para os cidadãos brasileiros na Ucrânia. Segundo comunicado, o embaixador do Brasil em Kiev, capital da Ucrânia, Norton de Andrade Mello Rapesta, vai coordenar o posto a partir de Chisinau, na Moldávia. O Ministério de Relações Exteriores havia reiterado também para que brasileiros no território europeu continuem a contar com apoio de funcionários locais da Embaixada em Kiev.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.