Avante quer eleger deputado federal com a mesma votação de estadual

Com esta estratégia, que é própria, sigla já conseguiu eleger vereadores em Anápolis, Abadiânia, Cesarina, Formosa, Pires do Rio e Valparaíso 

Com a promessa de que os suplentes poderão assumir o mandato por algum período de tempo e três critérios definidos: não aceitar candidatos à reeleição, candidatos ligados a algum ministério de igreja e empresários de grande porte, o diretório Regional do Avante quer uma das 17 cadeiras disponíveis para a Câmara Federal com uma votação baixa e trabalha para eleger nomes na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).  

Ao partir da estratégia, o presidente Regional do partido, o vereador Thialu Guioti, adianta que o partido já conta com 20 pré-candidatos definidos. Todos os nomes têm, inclusive, o compromisso de que, se o partido eleger ao menos um deputado federal com votação baixa, “votação de deputado estadual”, como aconteceu nas eleições para o Legislativo Municipal em seis municípios goianos, onde o partido conseguiu fazer mais de dois parlamentares ou mais.  

É o caso de Anápolis (2), onde o partido elegeu dois nomes que estão entre os cinco parlamentares eleitos com menos votos; de Abadiânia, onde o partido tem a maior bancada com três vereadores eleitos; de Cezarina (2); de Formosa (2); de Pires do Rio (2); Valparaíso (2); e de Goiânia, com uma chapa que teve 23.617 votos, o presidente da sigla foi eleito com 1.884 votos ao lado de Geverson Abel, eleito com 3.060 votos. 

Na capital goianiense, o partido inclusive, cumpriu parte da promessa. O vereador Geverson Abel se afastou por um determinado tempo e abriu espaço para o primeiro suplente da sigla, Jaiminho (Avante), que assumiu o posto por 121 dias. O segundo suplente, Marcos Rosa (Avante), também teria o compromisso de assumir o posto por um período determinado de tempo.  

“Vamos acordar, como já fizemos que o mandato será participativo. Se um candidato for eleito com votação baixa, os dois primeiros suplentes vão assumir o mandato caso elejamos um deputado federal. É uma estratégia que deu certo, tudo dentro destes critérios e que já conta com uma chapa bem encaminhada”, comentou Thialu que é um dos pré-candidatos da sigla para a Câmara Federal.  

Segundo ele, o partido já tem votação para eleger um deputado. No caso, um deputado estadual. O partido recebeu 24 mil votos nas últimas eleições municipais e não elegeu nenhum prefeito. No Legislativo, o partido tem 18 vereadores pelo Estado, sem contar com as janelas partidárias que ainda podem vir.  

Dobradinha com Novandir 

É o caso por exemplo do vereador por Goiânia Sargento Novandir (sem partido). Mesmo sem janela partidária (vereadores não têm), o político que é justamente o parlamentar que se vestiu de palhaço e pediu “cintadas” pode estar a caminho do Avante. Ele está sem partido desde a última semana e é pré-candidato a Alego. Pode fazer uma dobradinha nas próximas eleições como presidente da sigla.  

Ou seja, Thialu deve ir para federal e Novandir para estadual. Situação que não é descartada por Thialu. Segundo ele, um destes nomes que podem chegar a sigla para concorrer a um cargo eletivo pode ser o de Novandir. Ele, porém, avalia o cenário como uma oportunidade para que a sigla se torne a segunda maior bancada da Câmara Municipal de Goiânia, com três vereadores, atrás apenas do MDB, que tem seis parlamentares.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.