Autor de CEI que vai investigar SMT expõe situação de calamidade da pasta

Elias Vaz afirma que irregularidades em vários contratos o motivaram a pedir comissão, que deve ser instalada nesta semana

Envolta em diversas polêmicas nos últimos anos, com denúncias de contratos irregulares e fraudes em licitações, a Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) será alvo de Comissão Parlamentar de Inquérito (CEI) na Câmara Municipal. A comissão deve ser instalada já durante a próxima semana.

Segundo o vereador Elias Vaz (PSB), que propôs a CEI, a situação de “sucateamento” da secretaria, é que justifica que ela seja investigada. “Temos denúncias de irregularidades nos contratos de fotossensores, nos gastos com tintas para a sinalização, com emissão de multas, enfim, tudo isso deve ser melhor apurado”, defendeu ele.

Elias, inclusive, é um dos vereadores que mais denunciaram irregularidades na pasta. Como ele próprio lembra, as suspeitas em relação ao contrato da prefeitura com a empresa Trana Tecnologia em Monitoramento S/A, que fazia a fiscalização por fotossensores, foram apontadas incialmente por ele.

De acordo com o parlamentar, o contrato com a empresa tinha sendo prorrogado por aditivos desde que foi encerrado, em 2014, contrariando o prazo máximo permitido por lei. Além disso, afirma, o texto da licitação foi elaborado para favorecer a Trana, que também não cumpriria a exigência mínima de eficiência.

Outra reclamação é em relação aos gastos com tinta para fazer a sinalização de ruas da cidade. Embora a prefeitura desembolse altos valores para que o serviço seja feito, a empresa contratada, Marca Sinalizações e Serviços fez faixas e outras pinturas que, pouco tempo depois, quase não eram visíveis.

Devem estar na CEI os vereadores Elias Vaz (PSB), Cabo Senna (PRP), Anderson Sales Bokão (PSDC), Delegado Eduardo Prado (PV) e Paulinho Graus (PDT). Ainda faltam dois nomes a serem definidos, que serão indicados pelos blocos parlamentares conforme proporcionalidade. Elias confirma que pleiteia a presidência da comissão.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.