Austrália declara “ato terrorista” sequestro em café de Sydney

O governo da Austrália declarou a tomada de reféns em um café de Sydney, que terminou com a morte de dois civis e do autor do sequestro, como “ato terrorista”.

O governo adotou essa medida para garantir a compensação, pelas seguradoras, às vítimas e aos negócios afetados, disse o chefe do Tesouro da Austrália, Joe Hockey, em declarações citadas pela ABC.

Segundo ele, os pedidos feitos pelas empresas atingidas pelo incidente chegam a US$ 492.500.

O clérigo muçulmano de origem iraniana Man Haron Monis assumiu o controle do Café Lindt, em pleno coração financeiro de Sydney, tomando 18 pessoas como reféns durante 16 horas, no dia 15 de dezembro.

As autoridades iniciaram as ações para libertar os reféns depois que foram ouvidos tiros dentro do estabelecimento.

Deixe um comentário