Aulas presenciais não serão retomadas na rede estadual enquanto o mapa da Covid-19 estiver em situação de calamidade

O mapa de calor aponta que, por enquanto, apenas a região Noroeste II está classificada como crítica (amarelo). Todas as demais estão atualmente em situação de calamidade (vermelho)

Mesmo diante da publicação do novo decreto estadual que autoriza a reabertura das escolas por 14 dias, bem como a flexibilização das atividades não essenciais, as unidades escolares da rede estadual de educação em Goiás não retornarão para o sistema de aulas presenciais. O modelo continuará sendo o remoto, a exemplo do que prevaleceu em 2020.

De acordo com secretária Estadual de Educação, Fátima Gavioli, as aulas na rede pública de educação devem retornar somente com uma margem de biossegurança prevista pelo Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para Enfrentamento ao Coronavírus (COE),  “no sentido de que o mapa de recomendação não esteja na cor vermelha”.

O mapa da Covid-19 aponta que, por enquanto, apenas a região Noroeste II está classificada como crítica (amarelo), com os municípios: Alvorada do Norte, Buritinópolis, Damianópolis, Guarani de Goiás, Iaciara, Mambaí, Nova Roma, Posse, São Domingos, Simolândia, Sítio  D’Abadia. Todas as demais regiões do estado estão, atualmente, em situação de calamidade (vermelho).

De acordo com a secretaria estadual de Saúde (SES), a partir da classificação de cada localidade, é possível que as prefeituras implementem medidas de combate e controle do coronavírus, com procedimentos padronizados. As recomendações aplicadas em regiões classificadas como situação “crítica” ou de “calamidade” só poderão ser modificadas se a região apresentar melhora da situação por duas semanas consecutivas.

Painel da Covid-19

Segundo o painel de Covid-19 disponibilizado pela SES, os dados de óbitos e internações estão estáveis. No entanto, continuam altos. Nas últimas 24 horas, 93 pessoas morrem vítimas da doença no estado. Desde o início da pandemia, 11.432 óbitos foram confirmados pela Covid-19 em Goiás até o momento, o que significa uma taxa de letalidade de 2,37%. Há 272 óbitos suspeitos que estão em investigação.

Nos hospitais públicos e privados, a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), nesta quarta-feira, 31, é de 94,72% e 69,84% das enfermarias. Apenas nos hospitais sob gestão do estado de Goiás a situação é um pouco mais crítica, 94,86% das UTIs estão ocupadas. Das 525 unidades existentes atualmente no estado, apenas 27 estão disponíveis.

Vacinação

Fatima Gavioli afirma que o governo de Goiás está tratando com o Ministério da Saúde a vacinação contra a Covid-19 de professores e demais trabalhadores da área da educação. No entanto, a secretária não revelou detalhes dessa negociação.

Rede privada

Nesta quarta-feira, 31, com a nova fase do decreto estadual, foram retomadas as aulas presencias nas escolas particulares. De acordo com o documento publicado pelo governo do estado, não há limitação do número de alunos nas salas de aula. Em medidas anteriormente, era exigida a capacidade máxima de 30%. No entanto, é preciso respeitar o distanciamento social e seguir todos os protocolos sanitários, como manter as salas arejadas, uso de álcool geral, máscara e higienização dos espaços e dos materiais didáticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.