Atraso em repasses para o transporte rural da rede estadual acumula R$ 38 milhões, diz AGM

235 cidades, inclusive Goiânia (R$ 49.920), Aparecida de Goiânia (R$ 55.360) e Anápolis (R$ 193.440) estão com parcelas a receber

Foto: Lazaro Ribeiro

Segundo tabela da Associação Goiana de Municípios (AGM), existe uma dívida no repasse de quatro parcelas para financiamento do transporte rural dos alunos da rede estadual de ensino no valor de R$ 38.382.092,00. As pendências seriam relativas ao ano de 2018.

Entre as parcelas, Luziânia figura com o maior valor em atraso. São R$ 1.139.724 — a pendência mensal é de R$ 284.931. É o único município que ultrapassa a casa do milhão.

Conforme a tabela, o atraso do repasse atinge 235 cidades, inclusive Goiânia (R$ 49.920), Aparecida de Goiânia (R$ 55.360) e Anápolis (R$ 193.440).

A AGM foi procurada para mais informações, como os dados relativos a 2019, mas ainda não retornou.

Em relação a 2019, a secretaria de Estado de Educação informou que todos os repasses já foram feitos. Já em relação a pendências de 2018, a pasta informou ao Jornal Opção que “estão em negociação”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.