Ato contra corrupção reúne poucos manifestantes em Goiânia

Movimento do Vem Pra Rua reuniu poucas pessoas na capital goiana. Ação acontece em várias capitais de maneira simultânea

Este slideshow necessita de JavaScript.

Às 14 horas deste domingo (27/8), a Praça Tamandaré, no setor Oeste, em Goiânia, estava com um movimento pouco acima do esperado para uma tarde normal de domingo. Fora o número incomum de viaturas da Polícia Militar, apenas a presença de algumas pessoas e um carro de som poderiam dar indícios de que ali acontecia um protesto.

Diferente de outras edições, o ato anti-corrupção do movimento Vem Pra Rua estava bastante vazio no horário em que estava marcado para começar. Mais tarde, algumas dezenas de pessoas chegaram vestidas de verde e amarelo e começaram a se organizar entorno dos cartazes confeccionados pelo Vem Pra Rua, mas nada perto da mobilização já vista em outros atos meses atrás. Organizado via redes sociais, o protesto acontece simultaneamente em diversas capitais brasileiras.

A manifestação, além de ser contra a corrupção e em apoio à Lava Jato, também é crítica a assuntos atualmente debatidos no Congresso e medidas do governo de Michel Temer (PMDB), como aumento de impostos e medidas da reforma política, como a criação de fundo partidário com dinheiro público e chamado sistema “distritão”.

Em outras capitais, como no Rio de Janeiro, um dos principais alvos foi o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que na última semana determinou a soltura de três investigados da Operação Ponto Final, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.