Segue suspenso atendimento de pacientes do Ipasgo pelo Ingoh

Justiça só determinou prazo para ampla defesa e produção de provas por parte na unidade de saúde

Fachada do Ingoh, em Goiânia / Foto: Fábio Costa

Através de nota publicada nesta quarta-feira, 19, o Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) afirma que a decisão liminar da juíza substituta, da 5ª Vara da Fazenda Pública, Lívia Vaz da Silva, emitida no dia 17 de fevereiro, não determina a retomada das autorizações de atendimentos de novos pacientes para tratamentos em oncologia no Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (Ingoh).

Ao contrário do que foi divulgado, a decisão da Justiça confirmou o cumprimento de liminar do dia 7 de fevereiro, que determinou prazo para que a unidade produzisse as provas pretendidas para o Processo Administrativo Disciplinar, que responde perante ao instituto dos servidores.

Essa liminar foi pedida pelo Ingoh em face da suspensão do Ipasgo em autorizar guias de atendimento para novos pacientes do instituto. Já que a instituição é alvo de investigação da Operação Metástase, instaurada pela Polícia Civil.

O Ingoh questionou na justiça o direito de exercer o contraditório e a ampla defesa. Foi aí que a Justiça determinou o prazo para a produção de provas e depois confirmou a liminar com o pedido.

Suspensão

Ainda em nota, o Ipasgo informa que a medida de suspensão tem caráter cautelar é temporária, portanto pode seguir até que haja decisão final sobre a questão. O processo administrativo foi instaurado contra o prestador a partir de recomendação da Controladoria Geral do Estado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.