Até abril, Goiás terá menos de 1% de residências com criadouro, diz secretário

Ministro da Saúde Marcelo Castro esteve em Goiânia para avaliar as ações do programa Goiás Contra o Aedes

Secretário de Saúde em Goiás mostrou os resultados do força-tarefa no estado para o ministro da Saúde Marcelo Castro | Foto: Twitter/SES

Secretário de Saúde em Goiás mostrou os resultados do força-tarefa no estado para o ministro da Saúde Marcelo Castro | Foto: Twitter/SES

Em janeiro de 2016, a estimativa era de que 3,9% dos imóveis em Goiás tinham focos criadouros de Aedes Aegypt. Em fevereiro, o percentual foi para 2,1% e a estimativa para estes primeiros dias de março são de uma queda em torno de 1,4%. Estes foram os dados apresentados pelo secretário de Estadual de Saúde, Leonardo Vilela durante reunião no Centro de Convenções em Goiânia para uma plateia composta por secretários da Saúde dos 246 municípios do Estado, o governador Marconi Perillo (PSDB) e o ministro da Saúde Marcelo Castro.

O encontro serviu para a apresentação dos resultados dos dois primeiros meses da força-tarefa Goiás Contra o Aedes, que tem como meta vistoriar, por seis vezes, apenas no primeiro semestre, todos os imóveis do Estado, além de conscientizar a população para o trabalho contínuo de combate a criadouros e erradicar o mosquito em Goiás. As visitas são realizadas pelas prefeituras em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde e apoio do Corpo de Bombeiros.

O primeiro ciclo ocorreu em janeiro e o segundo, em fevereiro. No encontro, Marconi assinou um decreto com critérios para certificação de municípios livres do Aedes aegypti. As cidades que receberem o certificado serão premiadas com o dobro de repasses por parte do governo estadual.

Em coletiva, o governador disse estar satisfeito com os resultados obtidos em relação à erradicação do Aedes. “O Ministério da Saúde quer que esses criadouros sejam no máximo de 1%. Acreditamos que vamos chegar a abril com menos de 1% de criadouros em residências.”

Conscientização

Marconi afirmou também que, com o envolvimento de mais de 20 mil pessoas,  foi possível realizar em janeiro cerca de 1,3 milhão de visitas. “Repetimos este número em fevereiro e vamos repetir em março e abril até que possamos eliminar esses criadores.” Marconi acrescentou que a ajuda e a conscientização da população têm sido extremamente importantes para a eliminação dos criadouros.

O ministro da Saúde Marcelo Castro também afirma estar otimista com os resultados e ressalta a mobilização da sociedade, que está consciente da gravidade do problema. Ele contou que na semana passada foi realizada uma pesquisa nacional em que ficou perceptível que a população tem mudado o hábito para eliminar os criadouros nas residências.

Certificação de municípios

Nesta quarta-feira, foi assinado um decreto que estabelece os critérios para certificação de municípios livres do Aedes aegypti e os parâmetros para definição de Índices de Infestação Predial (IIP) no Estado. O certificado terá prazo de seis meses e a inspeção para sua emissão será feita por técnicos das Regionais de Saúde ou Nível Central da SES. O município certificado receberá a contrapartida estadual em dobro para os meses de julho e dezembro de 2016. Segundo o governador, esta é uma forma de premiar quem realmente está trabalhando. “Não dá para dar dinheiro a quem não faz o dever de casa”, diz. (Com informações Goiás Agora)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.