Assessora de deputado estadual é autuada por desacato a PM em Anápolis

“Não me envolvo nas questões pessoais nem na vida particular dos meus assessores, enquanto não refletem  diretamente no trabalho do gabinete. Caso venham a cometer falhas, deverão ser responsabilizados”, diz Coronel Adailton

Juliana Albuquerque | Foto: Reprodução

A assessora do deputado estadual Coronel Adailton (PP), Juliana Albuquerque, teve seu nome envolvido em uma polêmica após ser detida por desacato a autoridade. Conhecida por sua atuação contra a violência doméstica, Juliana teria sofrido agressão por parte de seu companheiro no domingo, 16, em Anápolis.

Na ocasião, a Polícia Militar foi chamada para averiguar a denúncia. Mas, chagando ao local, os militares sofreram ofensas proferidas pela mulher que, além das provocações, teria argumentado trabalhar para o parlamentar como forma de intimidação.

Segundo informações, Juliana ainda teria tentado fugir do local, sendo necessário o uso de algemas para detê-la. Ela acabou sendo autuada por desacato e resistência. A PMGO confirmou o registro do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desacato.

Ao Jornal Opção, o parlamentar informou que Juliana, que atua como assessora de comunicação em seu escritório parlamentar em Anápolis, contou que após desentendimento com seu companheiro, foi conduzida por policiais militares à Delegacia de Polícia para a lavratura de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), onde lhe foram imputados os crimes de desacato e resistência.

“Mantendo a coerência pela qual sempre me conduzi, devo esclarecer que não me envolvo nas questões pessoais nem na vida particular dos meus assessores, enquanto não refletem  diretamente no trabalho do gabinete. Caso venham a cometer falhas, deverão ser responsabilizados”, disse Coronel Adailton.

“Segundo a nossa Constituição, todas as pessoas investigadas por qualquer tipo penal, têm pleno direito ao devido processo legal que garante o contraditório e a ampla defesa. Tenho a convicção que no momento próprio da justiça, devem vir à tona os esclarecimentos necessários e, em consequência deles, a verdade dos fatos”, encerrou o deputado estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.