Assessor de Bolsonaro pode ser responsável por comandar página de ódio em rede social

Bolsonaro Opressor 2.0 possui mais de um milhão de seguidores e publica ataques constantes a presidenciáveis e outras pessoas

Nomeado como secretário parlamentar no gabinete do deputado Jair Bolsonaro (PSL) o assessor Tércio Arnaud Tomaz é apontado como responsável pela página “Bolsonaro Opressor 2.0”, segundo o jornal O Globo.

A página presente no Facebook, foi criada em 2015, para publicar memes violentos contra adversários políticos, tem mais de um milhão de seguidores e, de acordo com O Globo, duas fontes confirmam a ligação do assessor com a página no Facebook. Um dos indícios é que no título de sua conta pessoal na rede social Flickr, Tércio assina seu nome seguido da expressão: “Bolsonaro Opressor 2.0”.

Em uma das postagens mais recentes da página é possível ver uma montagem de cunho machista. Além disso, a página costuma promover ataques, por meio de memes agressivos, aos adversários presidenciáveis de Bolsonaro como Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT).

No Instagram também é possível encontrar a página que publica postagens agressivas. Em um dos posts, cinco dias após o assassinato de Marielle Franco, o perfil no Instagram criticou a manchete do Jornal do Brasil, que noticiava a intenção da irmã da vereadora de se lançar na política: “Do jeito que tá indo, vão empalhar o cadáver e levar em comício”. O post recebeu 3.774 curtidas.

Procurado pelo jornal que fez a denúncia, nem Tércio Arnaud Tomaz, nem Bolsonaro, retoranram as ligações.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.