ASMR: youtubers conquistam milhares de seguidores estimulando sono e relaxamento

Prática não é reconhecida pela medicina, mas vídeos já conquistaram adeptos e alcançaram milhões de visualizações nas redes sociais

Divulgação

Para quem tem dificuldades de dormir e busca sempre métodos corriqueiros para pegar no sono como, por exemplo, contar carneiros, beber leite quente ou tomar um banho morno, a ASMR (Autonomous Sensory Meridian Response ou, em português, Resposta Sensorial Meridiana Autônoma) não deve ser desconhecida.

O termo, segundo as explicações mais populares encontradas da internet, trata da produção de imagens com sons de baixa frequência capazes de despertar emoções intensas e que se manifestam em resposta a estímulos visuais, auditivos e cognitivos que prometem causar relaxamento e até sonolência.

Porém, apesar do fenômeno ter ganhado popularidade em alguns grupos e alcançado milhões de visualizações nos vídeos dos youtubers que promovem o ASMR, a prática ainda pega muitos internautas de surpresa pela singularidade e excentricidade de suas características.

Por isso, para entender melhor e explicar, para quem não conhece o que é, de fato, a ASMR, o Jornal Opção falou com duas youtubers que produzem vídeos sobre a prática e alcançam milhares de pessoas que, pelos comentários das postagens, dizem não conseguir mais ficar sem ouvir os sons e imagens que elas proporcionam. Antes, porém, confira um vídeo para entender, na prática, do que se trata o assunto:

O vídeo acima foi produzido pela youtuber Camila Klein, de 20 anos, conhecida como a Gaúcha ASMR. Ela, que possui mais de 360 mil inscritos, contou que começou com o canal no início de 2017.

“Estava conversando com meu irmão quando ele falou sobre a técnica, eu não fazia ideia do que se tratava. Depois que assisti nunca mais parei, então, em um dia mexendo em algumas caixas, acabei fazendo uns sons que me remeteram aos vídeos e eu disse para meu irmão: ‘olha, eu também posso fazer ASMR!’”, contou Camila.

A youtuber revela, ainda, que apesar de faturar com os vídeos, faz inteiramente pelo prazer de ajudar as pessoas. “É uma sensação muito boa”, admite. Ela conta que recebe muitas mensagens de pessoas dizendo que se sentem próximas a ela, como se fossem amigos, apenas pela forma como conduz os vídeos.

“Outros dizem que só conseguem dormir assistindo ou ouvindo ASMR. Algumas pessoas revelam também que a técnica vem sendo um forte calmante contra crises de ansiedade, síndrome do pânico e há quem diga que desde que conheceu a prática, deixou de tomar medicamentos para os mais variados distúrbios”, declarou Camila.

Uma seguidora goiana da Gaúcha ASMR, a estudante Natália Chagas, também respondeu ao Jornal Opção e garantiu que, ao assistir os vídeos de ASMR, sente relaxamento instantâneo. “É como se um gatilho de calma fosse acionado em mim. O ASMR já faz parte da minha vida praticamente todos os dias, seja para dormir ou simplesmente relaxar. Meus gatilhos preferidos são de sons de água ou chuva”, confessou.

Já outra youtuber que topou falar com a reportagem sobre a produção de vídeos ASMR foi a Ana Gutierrez, de 23 anos, instrutora de meditação e ASMRtist, termo utilizado para designar pessoas que produzem vídeos sobre o exercício. Ana propõe, em seus posts, uma maneira diferente e mais “mística” de produzir suas técnicas de Resposta Sensorial Meridiana Autônoma.

“Na época em que conheci o ASMR eu estava estudando para o ENEM, então uma pessoa me apresentou a técnica e decidi utilizar os vídeos para relaxar, me concentrar e dormir mais rápido. Porém, além disso, também queria vídeos que fossem relacionados à meditação, autoconhecimento, espiritualidade e bem-estar holístico, mas na época não encontrei”, disse Ana.

Por isso, a youtuber explicou que teve um insight e ficou inspirada a criar vídeos de ASMR integrando a técnica com suas formações em Meditação, Reiki e Thai Yoga Massagem, desenvolvidas durante o período em que morou e trabalhou em um Ashram na Índia.

Hoje, Ana Gutierrez é dona do canal ASMR Lá Nas Alturas. Ela afirma que já tem recebido vários feedbacks positivos. “Hoje, faço os vídeos por amor, mas também recebo retorno financeiro pelo meu trabalho”, revelou. Confira o vídeo mais assistido do canal da youtuber:

Ana relata, ainda, que muitas pessoas que sofrem com insônia, ansiedade, síndrome do pânico, estresse e depressão relatam melhoras significativas com os vídeos de ASMR produzidos por ela.

“Esses comentários muitas vezes são depoimentos de pessoas que não obtinham melhora, nem mesmo com o uso de medicamentos e hoje estão bem, liberadas dos remédios. Claro, vale o aviso que, apesar das técnicas ASMR e meditação utilizadas nos vídeos terem atualmente respaldo cientifico, com seus benefícios comprovados, esse conteúdo não substitui tratamento com profissional de saúde capacitado e serve apenas para fins complementares de relaxamento e bem-estar”, conclui a youtuber.

É o que confirma também o médico neurologista Dr. Alexandre Alvares. Segundo ele, a prática ainda não é reconhecida pela medicina brasileira e nem há pesquisas clínicas que comprovem toda a eficácia, assim como diversas outras técnicas existentes.

“Apesar disso, não há contra indicações, visto que se trata de um processo simples que tem como objetivo único estimular o corpo de alguma forma para que traga relaxamento”, disse o médico.

Deixe um comentário