Fica e a transformação da Agepel em Secretaria de Estado da Cultura são os destaques da atual gestão do tucano voltadas para a cultura

unnamed (1)
Marconi Perillo ao lado de Siron Franco

O artista plástico goiano Siron Franco, cuja obra é reconhecida no Brasil e no exterior, afirmou que o governador e candidato à reeleição Marconi Perillo (PSDB) foi um dos poucos representantes ligados à arte e a “olhar de forma diferente pela cultura de Goiás”. Siron recebeu a visita do governador no casarão do Instituto Rizzo, em Goiânia, onde o artista estava às voltas com o projeto “Desaparecimento das Abelhas”.

De acordo com Siron Franco, o tucano contribuiu para a implementação de políticas culturais no Estado. “Nunca tivemos um governante que se preocupasse tanto com as diferentes manifestações artísticas e culturais neste Estado”, avaliou.

Após a visita, o artista plástico declarou apoio à reeleição de Marconi Perillo. “Agradeço por olhar pela cultura goiana. No próximo mandato, o senhor fará ainda muito mais por Goiânia e por este Estado”, disse em vídeo divulgado pelo próprio artista em suas redes sociais.

Com o título de “O Desaparecimento das Abelhas”, a nova exposição de Siron Franco tem o objetivo de alertar os cidadãos sobre a possível extinção deste inseto. “Albert Einsten afirmava que, se as abelhas desaparecessem, a humanidade desapareceria em no máximo quatro anos”, explicou. Na exposição, centenas de abelhas decoram as paredes do casarão do Instituto Rizzo, que fica localizado na Avenida Cora Coralina, região sul da capital.

Na atual gestão, o tucano transformou a Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico Texeira (Agepel) em Secretaria de Estado da Cultura (Secult). A mudança, segundo Marconi Perillo, permitiu à pasta ter mais autonomia e receber mais recursos do governo federal. Outra iniciativa cultural marconista foi a criação do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) realizado anualmente na cidade de Goiás. Além da regulamentação e implantação do Fundo de Arte e Cultura de Goiás e da ampliação dos recursos do Programa Estadual de Incentivo à Cultura, a Lei Goyazes, de R$ 5 milhões para R$ 10 milhões.