Arteterapia: medicina alternativa é valorizada em Goiânia

Hospitais da capital de Goiás utilizam cada vez mais opções alternativas na cura de doenças. Entre essas esta a Arteterapia, que coloca o paciente em contato com ações culturais a fim de equilibrar mente e corpo 

A Dra. Claroft, uma dos médicos do Saúde & Alegria. Foto: Reprodução | via Facebook

A Dra. Claroft, uma dos médicos do Saúde & Alegria. Foto: Reprodução | via Facebook

A arte como uma terapia, ou seja, como uma forma efetiva de curar doenças aparece como uma novidade que vem sendo adotada pelos corredores dos hospitais. Porém, o conceito surgiu em meados do século XIX, pelo médico e psicólogo alemão Johann Christian Reil, que descreveu e sistematizou os principais benefícios do tratamento. Logo após, seguindo uma linha do tempo, o psicólogo suíço Carl Gustav Jung, se tornou um grande entusiasta da prática. Em sua abordagem, chamada de junguiana, o objetivo é fazer com que o indivíduo entre em contato com conteúdos do seu inconsciente e logo após, ao integrá-los à consciência, eles possam ser transportados para a vida.

No século XX, a Arteterapia foi incorporada à medicina antroposófica, do alemão e filósofo Rudolf Steiner. A abordagem é integrar as teorias e práticas médicas atuais juntamente aos tratamentos homeopáticos, terapias físicas e aconselhamento. Essa abordagem tem o fundamento em entendimentos espiritual-científico do ser humano, considerando o bem-estar e doença como eventos ligados ao corpo, mente e espírito.

Já na década de 20, a Arteterapia chega ao Brasil por meio de Ulysses Pernambucano. Com o pioneirismo do psiquiatra brasileiro, a Arteterapia começou a se desenvolver nas terras brasileiras, tornando-se parte de diversos campos e com a criação de associação própria, a União Brasileira das Associações de Arteterapia (UBAAT), que determina critérios mínimos que guiam a formação de profissionais na área.

Em Goiânia

Alguns hospitais da capital já desenvolvem este tipo de tratamento alternativo, como por exemplo o Hospital Araújo Jorge (HAJ) que recebe ações dos artistas que formam o Saúde & Alegria. O grupo é formado por vários palhaços que cantam músicas e contam histórias para os pacientes.

Outra unidade de saúde que, recentemente, optou pela Arteterapia foi o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa). Em nota, o hospital divulgou o projeto chamado Quinta Cultural, que deve receber artistas goianos em suas diversas áreas. O trabalho é voluntário e pretende “movimentar os corredores do hospital e levar mais alegria a pacientes e funcionários”.

Em entrevista ao Jornal Opção Online a diretora geral do Huapa, Ana Kécia Xavier, afirmou que a ideia surgiu a partir das experiências que teve com os Semeadores da Alegria, um grupo que desenvolve ações semelhantes aos palhaços do Saúde & Alegria. Ela também apontou que as ações de Arteterapia ajudam no combate às doenças. “Percebe-se que isso ajuda na saúde do doente, pois ele esta em um ambiente hospitalar, longe da família, e com essas ações ele se sente acolhido”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.