Aprovada lei que proíbe médicos e dentistas de prescrever receitas com letra ilegível

Aprovada nesta quinta-feira pelos vereadores da capital, norma exige que receitas passem a ser digitadas ou escritas de forma legível

Os vereadores de Goiânia aprovaram nesta quinta-feira (13/10), em segunda e última votação, projeto que obriga que receitas médicas e odontólogas sejam digitadas ou escritas de forma legível por médicos e dentistas.

A matéria determina também a inclusão de informações completas sobre os medicamentos, o paciente e o profissional que o atendeu, como nome, endereço e telefone do local do atendimento; nome e endereço do paciente; nome, forma de uso, forma de apresentação, concentração, quantidade prescrita e dosagem do(s) medicamento(s).

“O objetivo é evitar os corriqueiros erros de interpretação das receitas, escritas muitas vezes com caligrafia indecifrável, que colocam em risco a saúde e a vida dos pacientes”, justifica o vereador Wellington Peixoto (PMDB), autor do projeto.

Em sua justificativa, o vereador cita uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) que constatou que “os erros devidos à prescrição contribuem significativamente para o índice total de erros de medicação e têm elevado potencial para resultarem em consequências maléficas ao paciente”.

O risco aumenta à medida que os profissionais não conseguem ler corretamente o receituário devido à letra ilegível ou à falta de informações necessárias para a correta administração, assinala o peemedebista. (Com informações da Câmara de Goiânia)

5 respostas para “Aprovada lei que proíbe médicos e dentistas de prescrever receitas com letra ilegível”

  1. Jorge Vicinity disse:

    Eu tenho um garrancho mesmo kkkk… Soh receito digitando no pc… Senão o farmacêutico não entende nada…

  2. José Mauro de Mendonça disse:

    Parabéns ao autor do projeto e à aprovação pela câmara de vereadores.
    Médicos precisam ter maior consciência e ver que sua letra ou caligrafia não é LEGÍVEL.

  3. Jailton Elias borges disse:

    Números ilegíveis, principalmente quando tem convênio com ótica.
    E o mais tem na maior cara de Pau e não fazem porra nenhuma.
    Eu não dependo de médico, tenho meus clientes.

  4. Saulo disse:

    No Brasil se faz isso direto.
    Legislar sobre leis já existentes (5991/73)

  5. Renaldi Bertoldo disse:

    Tem que ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.