Apostando na recuperação de Paulo Garcia, PT e PMDB iniciam articulações para 2016

Durante encontro, nesta segunda-feira (9), representantes de ambas as legendas firmaram uma agenda conjunta, de olho nas próximas eleições municipais

A convite do deputado estadual José Nelto, lideranças do PT e PMDB se reuniram na tarde desta segunda-feira (9/3) no diretório estadual do PMDB para discutir o futuro da aliança entre os dois partidos. Frustrado nas últimas eleições governamentais, o discurso de “união das oposições” voltou a ser consenso para o pleito do próximo ano.

Antes da retomada das articulações, no entanto, representantes das legendas esperam primeiramente afinar o diálogo entre PT e PMDB por meio de uma ação parlamentar conjunta envolvendo as bancadas federal e estadual das legendas. “Isso vai demonstrar que temos disposição de fortalecer a aliança e de estender essa aliança para outros partidos da base do governo federal”, explicou o deputado federal Rubens Otoni, primeiro a deixar a reunião nesta segunda-feira.

Dando início às articulações para 2016, ficaram marcadas para os próximos meses reuniões entre as executivas estaduais dos partidos. “Deve haver esforço de ambos os lados. Em 2014, tivemos a dificuldade de união devido à divisão interna do PMDB. Agora, em 2016, teremos uma eleição municipal, em que cada município terá suas particularidades”, pontuou Rubens Otoni.

No caso específico de Goiânia, a concretização da aliança entre as legendas é pesada por alguns fatores. O primeiro deles é a recente proximidade do PMDB com o Democratas do senador Ronaldo Caiado, com quem o PT nutre diferenças políticas e ideológicas.

Sobre a questão, Rubens Otoni avalia que, caso a cabeça de chapa seja preenchida por um petista e um peemedebista, o apoio do DEM será indiferente. “Eu vejo que, em Goiânia, temos uma aliança vitoriosa e que tem condições de liderar uma aliança ainda maior”, explicou.

Além do “elemento Caiado”, a aliança do PMDB e PT esbarra na má avaliação do prefeito petista Paulo Garcia. Conforme a coluna Bastidores, do Jornal Opção, peemedebistas chegaram a defender que a aliança com o Partido dos Trabalhadores, ao menos em Goiânia, estaria descartada devido ao esgotamento administrativo da atual gestão.

Na reunião desta segunda-feira, no entanto, representantes de ambas as legendas apostaram na recuperação de Paulo Garcia. “A administração da capital neste ano será uma grande oportunidade para a retomada do trabalho do prefeito Paulo Garcia. Assim, chegaremos em 2016 como uma referência importante para o nosso processo eleitoral”, defendeu Rubens Otoni.

Mais cauteloso, o deputado José Nelto (PMDB) disse que o partido vai trabalhar para que o prefeito possa “dar a volta por cima”. “Não tem como eu fazer uma avaliação. O que nós queremos é o bem da cidade”, ponderou.

Deixe um comentário