Após vice-presidente do PT criticar Dilma, partido a defende

Washington Quaquá disse que a ex-presidente não tem mais relevância eleitoral. Sigla reagiu com nota oficial

Washington Quaquá disse que Dilma não tinha “relevância eleitoral” | Foto: Reprodução

Depois de o vice-presidente do Partido dos Trabalhadores, Washington Quaquá, dizer que a ex-presidente Dilma Rousseff não tinha mais “relevância eleitoral”, a sigla criticou o posicionamento. Procurado pela coluna de Guilherme Amado no portal Metrópoles, ele respondia sobre a questionada ausência da ex-presidente no jantar no dia 19, que reuniu Lula e Geraldo Alckmin, em São Paulo.

A resposta do partido também consta da mesma coluna. O PT afirmou, em nota oficial, que esse tipo de opinião é comumente o meio usado para dificultar a participação feminina na política.

O comunicado, assinado pela Secretaria Nacional de Mulheres do PT e por suas 27 secretarias estaduais de Mulheres, assinala que “‘relevância eleitoral’ também é um artifício comumente utilizado para obstaculizar a participação de mulheres na política”.

“Cabe fazer um debate sobre a régua em que se mede a relevância de um quadro político, que não é apenas o resultado eleitoral. Se assim o fosse, a ‘irrelevância eleitoral’ de Dilma, que foi eleita duas vezes presidenta, obteve 15% dos votos ao senado em Minas Gerais, seria a mesma que outros quadros petistas homens, historicamente importantes, que obtiveram a mesma faixa de votação que ela, ou até menos, no mesmo ano, em seus respectivos estados – e sobre cujas cabeças não pesou o fardo de ‘irrelevantes”, diz outro trecho do documento.

Na quarta-feira, 29, Washington Quaquá havia dito que Dilma era uma ex-presidente que tinha “o papel dela”. “Mas, do ponto de vista eleitoral, não”, salientou. Pouco depois, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, reagiu e defendeu a ex-presidente de quem foi ministra. “A opinião individual de Washington Quaquá não corresponde ao papel da presidenta Dilma na história, no presente e no futuro do PT. Dilma merece o respeito e a solidariedade de cada dirigente e militante do partido”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.