Testagem de 21 apenados da POG revelou oito casos de contaminação pelo novo coronavírus

Em reunião realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), os órgãos responsáveis pela administração penitenciária do Estado acordaram nesta semana os protocolos de ação para conter o avanço de contaminação pelo novo coronavírus entre a população carcerária.

A reunião foi convocada após testagem de 21 presos da Penitenciária Odenir Guimarães (POG) revelar contaminação de oito apenados. Entre as determinações ficou decidido que cabe à Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) o encaminhamento, em 24 horas, dos nomes de todos os presos com resultado positivo para Covid-19.

Também ficou acertado que o protocolo de encaminhamento dos pacientes deverá ser feito pela DGAP para a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aparecida de Goiânia, para complementação e aplicação.

CPP

Entre as falas, o gerente de  Assistência Biopsicossocial da DGAP, Sandro de Souza e Silva, confirmou um caso de Covid-19 na Casa de Prisão Provisória (CPP), informou ainda que esse e os oito casos da POG foram isolados e retestados.

Ao destacar o bom trabalho que vem sendo realizado, defendeu ser referência no ambiente prisional, acrescentando  estar sendo realizada a busca ativa de todos os presos que tiveram contato com aqueles que testaram positivo, mas que não há reeducando com os sintomas da doença.

A defensora pública Laura Pereira da Silveira pontuou sobre a necessidade de observância dos critérios para detecção da doença na Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, em razão de ser a porta de entrada dos presos que estão chegando do ambiente externo prisional.