Antes da fuga, seria registrado contra o jovem apenas um TCO e, posteriormente, seria liberado. Agora, ele deve ficar preso e responder por dano ao patrimônio público

portao

Um jovem de 24 anos preso nesse domingo (26/10) por crime eleitoral fugiu da delegacia no momento em que a Polícia Civil registrava o crime. Para auxiliar na fuga, o rapaz derrubou o portão do local, que caiu sobre um carro da Polícia Militar.

Depois de fugir, o jovem, suspeito de tirar uma foto no momento em que registrava seu voto em um colégio na cidade de Caldas Novas, foi preso novamente por policiais militares, a dez quadras do local da fuga. De acordo com a delegada Sabrina Leles, houve danos ao portão e o carro dos policiais teve uma lanterna quebrada.

O jovem foi autuado por dano ao patrimônio público e, para ser liberado, ele deve pagar fiança estipulada em dez salários mínimos, ou seja, R$ 7.240 mil. Por não ter o dinheiro, o rapaz continua preso na cadeia de Caldas Novas.

O artigo 312 do Código Eleitoral prevê autuação para quem violar ou tentar violar o sigilo do voto. O fato de entrar com o celular na cabine se configura crime eleitoral. Segundo a delegada, antes da fuga, ia ser registrado contra o jovem apenas um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e, posteriormente, ele seria liberado.