Após ser liberado, filho de deputado grava vídeo para esclarecer prisão. Veja

“A relação que eu tinha com Leonardo (principal investigado, conhecido como Barão do Tráfico) era de uma pessoa que vai na casa de outra para uma festa”, compara

Foto: Reprodução/Internet

Após ser liberado por decisão judicial, o filho do deputado Tião Caroço (PSDB), Sebastião Monteiro Guimarães, decidiu gravar um vídeo para esclarecer o ocorrido. Acontece que o jovem foi surpreendido com a presença de policiais federais que cumpriam 25 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão em decorrência da Operação Ozark-Narc, que investiga uma quadrilha especializada no tráfico internacional de drogas.

Na gravação, Neto relembra que foi acordado pelos agentes que o conduziram para prestar depoimento. “A relação que eu tinha com Leonardo (principal investigado, conhecido como Barão do Tráfico) era de uma pessoa que vai na casa de outra para uma festa. Fui na casa dele duas ou três vezes. Foi basicamente isso”, explica o jovem.

Em seguida, Sebastião elogia a atuação dos policiais. “Foram muito educados e me trataram super bem”. “Foi um dia super cansativo e desgastante. Ainda mais quando chega a mídia, pelo fato do meu pai ser político, arrebentando e falando coisas que não são verdades”, pontua. Veja o vídeo completo:

 

A reportagem procurou a defesa de Sebastião Monteiro Guimarães que ressaltou por meio de nota o jovem foi colocado em liberada ainda no início da noite de ontem, a pedido da própria Polícia Federal. Veja:

Após a realização das diligências a Polícia Federal verificou a ausência de qualquer indício da participação dele nos fatos investigados na operação chamada Oazark-Narco. Diante da constatação e da certeza da inocência de Sebastião, conforme já havia alertado a defesa, a Polícia Federal oficiou ao Juiz Federal que decretou a prisão solicitando a imediata revogação da medida, o que foi deferido de plano pelo juiz. Sebastião foi colocado em liberdade sem sequer ser indiciado ou submetido a qualquer outra medida cautelar diversa da prisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.