Após ser culpado pelo aumento da passagem, governo de Goiás acusa Paço de oportunismo

Prefeitura explicou, por meio de nota, que governo estadual não pagou as gratuidades e por isso “teve” que aumentar valor do bilhete em 50 centavos

Um dia após a Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC) anunciar aumento de quase 18% na passagem de ônibus, o governo de Goiás divulgou nota em que define como “oportunista” as explicações do Paço para o acréscimo no valor da tarifa.

“As medidas relacionadas à definição da tarifa, por sua relevância e efeitos na vida da população usuária do transporte coletivo da Grande Goiânia, não podem e não devem ser alvo de exploração política ou intuito oportunista por nenhum dos agentes públicos envolvidos no processo”, alfinetou a gestão estadual na nota.

Nesta sexta-feira (13), a CMTC, em comunicado, havia afirmado que o reajuste no valor da passagem ocorreu devido à impossibilidade de desoneração da tarifa por aportes mensais assumidos, no último ano, pelo governo do Estado de Goiás.

No acordo, o tesouro estadual ficaria responsável por 50% do total das gratuidades da tarifa. À época, a resolução impediu que a passagem saltasse de R$ 2,70 para R$ 2,90. Dessa vez, no entanto, o acréscimo divulgado, e que já passa a valer a partir desta segunda-feira (16), foi de 50 centavos.

Na nota divulgada neste sábado, a gestão estadual também atenta para a atual composição da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) da região metropolitana de Goiânia, presidida pelo prefeito Paulo Garcia (PT) e com maior representatividade do Paço Municipal.

“O governo do Estado, por sua vez, tem apenas dois assentos na CDTC e não compete a ele fiscalizar ou definir o valor da tarifa do transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia”, diz a nota. Veja comunicado na íntegra:

NOTA DO GOVERNO DE GOIÁS SOBRE A NOVA TARIFA DE TRANSPORTE COLETIVO DA GRANDE GOIÂNIA

Acerca da decisão da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC) de estabelecer novo valor para a tarifa do transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia, em reunião realizada na última sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015, o Governo de Goiás vem observar que:

1 – São de competência da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC) a avaliação da qualidade do serviço prestado e a definição dos valores e reajustes das passagens de ônibus

2 – Conforme estabelece o regimento interno da CDTC, a Prefeitura de Goiânia detém 4 dos 11 assentos do órgão colegiado, tendo, assim, preponderância para aprovar ou vetar medidas relacionadas à qualidade do transporte coletivo e de definição do valor da tarifa;

3 – O Governo do Estado, por sua vez, tem apenas dois assentos na CDTC e não compete a ele fiscalizar ou definir o valor da tarifa do transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia;

4 – Vale ressaltar que a decisão pela definição da tarifa de R$ 3,30 foi unânime, ou seja, referendada por todos os membros da CDTC após a avaliação da qualidade do serviço ofertado e do equilíbrio econômico-financeiro do sistema;

5 – Sendo assim, as medidas relacionadas à definição da tarifa, por sua relevância e efeitos na vida da população usuária do transporte coletivo da Grande Goiânia, não podem e não devem ser alvo de exploração política ou intuito oportunista por nenhum dos agentes públicos envolvidos no processo, independentemente do peso que tenham na tomada de decisões sobre o setor.

Goiânia, 14 de fevereiro de 2015.

5
Deixe um comentário

5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
Joaquim

povo não é bobo e não engole esta explicação em que o Gov. Marconi Perilo, faz para convencer de que não tem responsabilidade sobre o aumento da passagem, caso queira não ser responsável po isto de uma exlplicscao verdadeira sobre os assuntos a seguir: a) a votação fora unanime. Quer dizer todos aprovaram; inclusive o governo, por meio dos seus dois representantes, por que fizeram isto, se não estão de acordo. foram pressionados por quem? Empresas de transporte coletivo? SETRANSP? b) Por que não vinham pagando sua parcela de 50% na gratuidade do SiTPASS estudantil, pois sabiam que isto interfere… Leia mais

fabiano felix

ESSE TAL DE TEMPO NOVO E UMA BRINCANAGEM,PROMETEU EM EPOCA DE CAMPANHA E CLARO QUE SUBSIDIARIA OS 50% DA TARIFA,E CLARO QUE TEVE TROCHAS QUE ACREDITARAM,E OUTRA ESSA EXTENÇAO DO EIXO AI ESTOU VENDO A HRA DELA EXPLODIR DE TANTA IRREGULARIDADE.MAS TEM AQUELE DITADO.ENQUANTO HOUVER FARINHA DE MANDIOCA E CHAPEU DE PALHA SEMPRE HAVERA TROUCHAS,E OTARIOS COMO OS QUE VOTARAM NELE PRINCIPALMENTE OS ALGUNS ESTUDANTES QUE QUEREM TUDO DE NO 0800,MAS TRABALHAR QUE E BOM NADA…..E SAUDADE DOS NAOS 80……..

José Mariano

Concordo plenamente, cada um deveria ser homem suficiente e assumir duas responsabilidades e não ficar com esse joquinho de empurra empurra, até quando nossos governantes vão achar que estão enganando o povo, chega de mentiras, vamos assumir o que fazemos, deixem de lorotas.

Evandro

O povo está cansado de tanto ser enganado!!! Esse governo mentiroso, em época de campanha faz de tudo para vencer, sé for possível vende alma para o capeta.

joao opinião

Os membros do CMTC deviam ser algemados e levados para o Cepaigo.