Após protestos contra racismo, HBO Max retira clássico “E o Vento Levou” do catálogo

Em nota, plataforma estadunidense afirmou que filme “é um produto de seu tempo e contém alguns dos preconceitos étnicos e raciais que, infelizmente, têm sido comuns na sociedade americana”

“E o vento Levou”, filme de 1939 dirigido por Victor Fleming. Foto Reprodução.

Na segunda-feira, 11, o autor de “12 Anos de Escravidão”, John Ridley, publicou um artigo no jornal Los Angeles Times no qual afirmou que o filme “E o Vento Levou” deveria ser retirado da plataforma da HBO Max porque “não fica apenas aquém da representação, mas ignora os horrores da escravidão e perpetua alguns dos estereótipos mais dolorosos das pessoas de cor”.

No momento em que grandes protestos contra o racismo lavam a discussões nas mais diversas áreas, a HBO decidiu retirar o filme da plataforma na terça-feira, 9.

“‘E o Vento Levou’ é um produto de seu tempo e contém alguns dos preconceitos étnicos e raciais que, infelizmente, têm sido comuns na sociedade americana”, disse nota da HBO Max enviada à AFP. “Estas representações racistas estavam erradas na época e estão erradas hoje, e sentimos que manter este título disponível sem uma explicação e uma denúncia dessas representações seria irresponsável”, completou.

O filme será disponibilizado novamente no futuro, junto com uma discussão de seu contexto histórico, informou a plataforma.

Sinopse e crítica no Los Angeles Times

“Gone With the Wind” é seu próprio problema. Não apenas “falha” em relação à representação. É um filme que glorifica o sul antes da guerra. É um filme que, quando não ignora os horrores da escravidão, faz uma pausa apenas para perpetuar alguns dos estereótipos mais dolorosos de pessoas negras.

É um filme que, como parte da narrativa da “Causa Perdida”, romantiza a Confederação de uma maneira que continua a legitimar a noção de que o movimento secessionista era algo mais, ou melhor, ou mais nobre do que era. – uma insurreição sangrenta para manter o “direito” de possuir, vender e comprar seres humanos.

( Trecho do artigo de John Ridley, tradução livre)

O longa-metragem de 1939 — dirigido por Victor Fleming e que venceu oito estatuetas do Oscar — fala sobre a Guerra Civil americana. Até hoje, o filme continua sendo uma das maiores bilheterias de todos os tempos. No entanto, há muito tempo sua representação de escravos conformados e heroicos proprietários de escravos é alvo de críticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.