Comissão ainda arquivou outra proposta, de iniciativa do vereador Carlin Café (PPS), que adiava pleito para fevereiro de 2019

Vinicius Cerqueira (Pros) | Foto: Alberto Maia

Após intensa discussão em torno de dois projetos que alteram a data da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Goiânia, as matérias que estavam sendo analisadas pela Comissão Mista, foram encaminhadas á Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Isso porque houve suspeição quanto ao trâmite dos projetos e diante da situação, o regimento interno da Casa de Leis diz que a CCJ deve se manifestar sobre o assunto.

Na comissão, a proposta do vereador Vinicius Cerqueira (Pros), que já havia sido apreciada nesta segunda-feira (12/11) pela Comissão Mista também foi aprovada. O projeto altera a data do pleito para a primeira sessão do mês de dezembro. Antes, a votação acontecia na última sessão do mês.

Já o projeto do vereador Carlin Café (PPS) que pretendia adiar a eleição para fevereiro de 2019 e ainda estava sendo analisada na Comissão Mista, foi arquivado pela CCJ. A Procuradoria da Casa já havia sugerido o arquivamento da proposta.

“Quando há duas matérias tratando de um mesmo assunto, o regimento determina que a preferência é daquele que foi protocolado primeiro e por isso arquivamos o projeto do Carlin Café”, afirma a presidente da CCJ, Sabrina Garcêz (PTB).

Agora, o projeto aprovado pela comissão segue o rito e já deve ser incluído na pauta desta quarta-feira (14) para primeira votação.

Vereadores favoráveis ao projeto estudam a possibilidade de convocar uma sessão extraordinária logo após o feriado, nesta próxima sexta-feira (16), para que a matéria seja apreciada em definitivo.

Polêmica

A discussão dominou o plenário durante a sessão ordinária desta terça-feira (13) que chegou a ser prorrogada por três horas. A grande maioria dos vereadores eram favoráveis á antecipação da data do pleito e acusaram o presidente da Casa de fazer manobra para impedir a votação.

Sozinho ao defender que a eleição fosse prorrogada para o próximo ano, Carlin Café foi bastante criticado pelos colegas e acusado de agir em interesse do Paço.