Após mais de dez anos, obra em escola de Rio Verde é retomada

Colégio Estadual Cunha Bastos estava com as obras paradas desde 2009 e perdia benefícios já realizados, como tijolos que se quebraram e areia desperdiçada. Estrutura deverá ser entre em julho deste ano

Cerca de 400 obras estão paralisadas em Goiás. Grande parte delas na área de educação. Para o Colégio Estadual Cunha Bastos, em Rio Verde, a espera chegou ao fim. Com os serviços parados desde 2009, a instituição de ensino teve erros no projeto, parte demolida, mas sua ordem de serviço foi assinada, finalmente, nesta segunda-feira, 2.

O governador Ronaldo Caiado anunciou que a escola estará pronta para retomar suas atividades letivas a partir do segundo semestre de 2020. “Nosso compromisso com a empresa é que este colégio, que será transformado em uma unidade em tempo integral, seja entregue definitivamente a todos os jovens a partir de 30 de julho”, prometeu.

Para a secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli, a retomada da obra no colégio vem em momento oportuno. “Tivemos um acréscimo de 1.900 alunos, do 6º ao 9º ano do ensino médio, da noite para o dia. Fechamos as matrículas no dia 16 de dezembro, com tudo regularizado, e quando nós abrimos para fazer o tratamento dos dados, Rio Verde tinha crescido, na mesma proporção que cresce hoje o Entorno de Brasília”, afirmou.

Investimentos

A demora na finalização da obra comprometia o que já havia sido feito, de acordo com a chefe da pasta. Tijolos começavam a se quebrar, a areia comprada foi desperdiçada. Ela ainda conta que a meta é investir R$52 milhões em Educação para todo o Estado neste ano, desta vez, com maior responsabilidade.

No Colégio Estadual Cunha Bastos, o total a ser investido é de R$1.047.530,47, divididos em duas etapas. A primeira já foi realizada em dezembro de 2019, quando o governo quitou a dívida de R$ 356.138,42 junto à Construtora Arena Engenharia. Agora, serão investidos R$ 666,5 mil para a conclusão do serviço.

A escola será transformada em Centro de Ensino em Período Integral (Cepi) e abrirá 200 vagas para alunos de 6º a 9º ano do Ensino Fundamental. “Essa retomada gera um impacto grande na nossa cidade. Estamos funcionando em um prédio provisório, onde temos alguns problemas de espaço. E aqui, no prédio de origem, os alunos ficarão mais acomodados e poderemos aumentar o número de estudantes atendidos”, declarou Rizzia Couto, gestora da instituição.

A unidade conta com 1.554 metros quadrados de área e 787 metros quadrados construídos. A estrutura possui quatro blocos, sendo um deles com as salas de aulas, um direcionado para o setor administrativo, o terceiro com biblioteca e laboratórios de informática e o quarto com sanitário e espaço de recreio.

Além da retomada da obra, foram distribuídos aos 530 mil alunos da rede estadual dois pares de uniformes, ou seja, mais de um milhão de conjunto de camisetas, calças e saias. O investimento do governo estadual foi R$26 milhões. A produção foi realizada por reeducandos por meio de convênio de empresas que venceram licitação e a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), conforme decreto 9.577/2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.