Após impactos da prisão de João de Deus, empresas devem gerar 300 novos empregos em Abadiânia

Primeira companhia a ser instalada após o escândalo religioso, a Kicaldo deve gerar 80 postos diretos de trabalho

A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) anunciou a chegada da fábrica da empresa de alimentos Kicaldo ao Distrito Agroindustrial de Abadiânia. O objetivo é suprir os impactos econômicos sofridos pelo município desde a prisão do médium João de Deus em dezembro de 2018. De acordo com a pasta, o novo empreendimento deve gerar 80 postos diretos de trabalho.

Além disso, outros dois empreendimentos, dos segmentos de industrialização de polpa de açaí e de sanitização, já ingressaram com a documentação para solicitar áreas no município, resultado da ação da Companhia. Caso sejam aprovadas, elas iniciarão as operações em breve. Juntas, as três empresas devem gerar 300 novos empregos.

As obras para instalação da empresa de alimentos Kicaldo já começaram em área de 11,7 mil metros quadrados (m²). Essa é a primeira indústria que se instala na cidade depois do escândalo envolvendo o líder religioso.

Trabalho

“Estamos cumprindo uma determinação do governador Ronaldo Caiado e da primeira-dama Gracinha Caiado, do Gabinete de Políticas Sociais, para trazer desenvolvimento para Abadiânia e a região do Entorno do Distrito Federal. Temos trabalhado diuturnamente para trazer oportunidades de emprego e geração de renda para os goianos”, destacou o presidente da Codego, Marcos Cabral.

Mesmo assim, o município ainda sofre com o desaparecimento de 2,5 mil empregos, muitos deles ligados ao turismo religioso, segundo a estimativa da Prefeitura, e a Companhia seguirá investindo na revitalização do parque industrial para atrair novos empreendimentos e, consequentemente, gerar novos empregos para a região.

“Quero agradecer ao governador Ronaldo Caiado, a primeira-dama Gracinha Caiado, e ao presidente Marcos Cabral, que determinaram que Abadiânia fosse uma das prioridades do governo. A vinda dessas empresas são de extrema importância para o município, que tem sofrido muito com desemprego”, destacou o prefeito de Abadiânia, José Diniz.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.