Após gritos de “Fora Bolsonaro”, PM interrompe festa no DF

Polícia alegou crime de perturbação contra ordem pública, mas convidados de jornalista apontam abuso de autoridade

A Polícia Militar do Distrito Federal invadiu uma festa particular na noite desta sexta-feira, 1º, em Brasília, após convidados se manifestarem com gritos de “Fora Bolsonaro” e “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”. A festa, organizada pelo editor do site Congresso em Foco, o jornalista Sílvio Costa, contava com a presença de uma série de jornalistas e advogados, que registraram e denunciaram a situação por abuso de autoridade.

Por volta das 22h30 da sexta-feira, Sílvio Costa comemorava seu aniversário ao lado de amigos, quando um dos convidados decidiu começar a manifestação contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. A partir daí, os demais começaram um coro que, segundo relatos dos convidados ao jornalista Ricardo Noblat, não durou mais do que cinco minutos. O tempo, porém, foi suficiente para que vizinhos acionassem a polícia para reclamar de amaça da ordem pública.

Policiais do 3º Batalhão Militar foram até o local e tentaram levar o responsável para a delegacia, mas, sob protesto dos convidados, ele permaneceu no local. Apesar disso, Sílvio ganhou a obrigação de assinar “um termo circunstanciado” de presente de aniversário. Nele, o jornalista se comprometeu a ir depor na delegacia, neste sábado (2).

Pelo Twitter, a jornalista Vanessa Lippelt, que trabalha no Congresso em Foco e estava na festa, condenou a atuação da polícia. “Já vivemos numa ditadura em Brasília. A PM é uma vergonha. Acaba com uma festa de aniversário porque gritamos FORA BOLSONARO! A PM se recusou a dizer a razão para levar o dono da festa”, escreveu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.