Após filiação ao PL, deputados se dividem sobre apoio a Vitor Hugo

Major Araújo garante estar alinhado com o partido, enquanto Paulo Cezar Martins declara desconforto e possibilidade de mudança de legenda

Anteriormente alinhados com Gustavo Mendanha (sem partido), os deputados estaduais Major Araújo e Paulo Cezar Martins se filiaram ao PL – sigla que confirmou a pré-candidatura do deputado federal Major Vitor Hugo ao governo de Goiás pela legenda -, na busca pela reeleição. Nesse cenário, Major Araújo já garante ao Jornal Opção o fechamento com o partido, em apoio a Vitor Hugo, enquanto Paulo Cezar Martins declara desconforto com a situação.

Isso, porque apesar de ter se aproximado do prefeito de Aparecida, após o apoio do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), o partido definiu a linha de apoio e cortou laços com Mendanha – que segue sem partido, a poucos dias do fim do prazo de filiações, mas com previsão se filiar ao Patriota.

Em conversa com o Jornal Opção, o deputado Major Araújo garantiu que, ainda que tivesse se aproximado de Mendanha, sempre considerou a hipótese de apoio ao Major Vitor Hugo. Ele ainda acrescentou que o pré-candidato ‘tem plenas condições de preencher requisitos que garantem o andamento ao lado do partido’. “Estamos do mesmo lado. Ele também é conservador, de direita, então preenche os requisitos. O Mendanha tem virtudes que ninguém discute, mas o partido decidiu por ele [Vitor Hugo] e nós vamos caminhar assim. Nosso candidato é o Major”, explica.

Para Araújo, a principal questão é seguir no apoio a uma chapa se oponha ao governo atual em Goiás, que ele critica veementemente. Apesar disso, o deputado não descarta um futuro retorno a Mendanha, caso o prefeito vá para o segundo turno contra o atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil). “Lá na frente, havendo segundo turno, tudo pode acontecer”, garante.

Paulo Cezar Martins, por outro lado, destaca que, para ele, a decisão não foi tão simples. O deputado explica que o PL foi o único que aceitou receber deputados com mandato em andamento, entre os que dialogavam com Gustavo Mendanha. Apesar do distanciamento que o partido teve com o prefeito de Aparecida, ele explica que a decisão de filiação foi recomendação do próprio Mendanha. “O Gustavo vem fazendo campanha com alguns partidos e o único que nos abriu as portas foi o PL, então surgiu como sugestão de prioridade dele”, explicou.

Agora, o deputado afirma que precisa estabelecer um diálogo com Vitor Hugo, que ainda tem que mostrar que ‘merece o apoio de Paulo Cezar’. “O desconforto [de apoiar Vitor Hugo] é muito grande, porque antes você estava na bandeira de um projeto e de repente ele foi para outro lado”, relata.

Diante do incômodo, Paulo Cezar ainda mantém dúvidas sobre a própria filiação. Questionado sobre a possibilidade de ainda mudar de partido antes do fechamento da janela, em 2 de abril, após uma decisão de Mendanha, ele é bem direto: “Essa é uma pergunta que eu ainda estou me fazendo todos os dias”, admite, além de destacar que ainda deve conversar com o prefeito de Aparecida sobre uma possível redefinição de rumo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.