Após quase dois meses internado, morre agente prisional baleado por Cadu

Marcos Vinícius foi submetido a diversas cirurgias, e chegou a apresentar melhora na última semana, mas não resistiu

Morreu no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), na última quinta-feira (23/10), o agente prisional Marcos Vinícius Lemes d’Abadia, de 45 anos. O agente prisional estava internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo), desde o dia do crime. Ele havia sido baleado na cabeça no dia 28 de agosto por Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, após uma tentativa de assalto na capital goiana. Cadu é o assassino confesso do cartunista Glauco Villas Boas e seu filho, Raoni Villas Boas, mortos em casa em 2010.

Marcos Vinícius foi submetido a diversas cirurgias, e chegou a apresentar melhora na última semana. Mesmo resistindo por 57 dias, a morte cerebral foi constatada na tarde da última quinta-feira. O corpo do agente será sepultado nesta sexta-feira (24) no Cemitério Parque Memorial.

O jovem também é acusado de matar a tiros o estudante Mateus Morais, de 21 anos, três dias após atirar em Marcos Vinícius, também em Goiânia. Cadu foi preso em Goiânia no dia 1º de setembro durante uma abordagem policial. Diagnosticado com esquizofrenia, Cadu estava fazendo acompanhamento psiquiátrico na época dos crimes. Neste período, o pai do jovem informou que ele havia demonstrado alteração no comportamento dias antes de cometer os crimes.

Após o assassinato do cartunista Glauco em 2010, Cadu foi declarado inimputável pela Justiça em 2011, tendo ficado inicialmente em um complexo médico penal no Paraná, sendo transferido, no ano seguinte, para Goiânia. Em setembro do ano passado, a Justiça de Goiás decidiu que Carlos Eduardo poderia sair da clínica psiquiátrica onde estava internado e voltar para a casa de seus pais. Conforme decisão judicial da época, o jovem estaria apto a passar para o tratamento ambulatorial.

Deixe um comentário