Após dez meses como ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira é efetivado

Ministro exerce cargo desde a saída de Romero Jucá (PMDB), que deixou a pasta após a divulgação de uma gravação em que ele criticava a Operação Lava Jato

Exercendo interinamente o cargo de ministro do Planejamento desde maio do ano passado, Dyogo Oliveira foi efetivado como titular da pasta nesta sexta-feira (31/3) pelo presidente Michel Temer (PMDB). Em nota, Temer afirmou que espera que o ministro “mantenha seu empenho na busca dos objetivos do governo rumo ao progresso do país”.

Oliveira assumiu o ministério há dez meses, quando o senador e então ministro Romero Jucá (PMDB) deixou o cargo após a divulgação de um áudio em que ele criticava a Operação Lava Jato durante uma conversa com o o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Nas gravações, o ministro sugere que seria preciso mudar o governo para “estancar” uma “sangria”. As conversas entre Jucá e Machado teriam ocorrido semanas antes da votação do processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados.

O novo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, é tocantinense, natural de Araguaína. Ele é economista, mestre em ciências econômicas pela Universidade de Brasília (UnB) e especialista em políticas públicas e gestão governamental pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). (Com Agência Brasil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.