Ele é acusado de ser o responsável pela morte de Flávia de Oliveira Rosa, de 23 anos, durante procedimento de lipoaspiração

Marcelo Caron também responde a mais 29 processos na Justiça. Os crimes são diversos e entre eles estão lesão corporal e estelionato|Foto: Reprodução
Marcelo Caron responde a mais 29 processos na Justiça. Entre eles o de lesão corporal e estelionato|Foto: Reprodução

O ex-médico Marcelo Caron deve passar por outro júri popular de acordo com decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO). Ele é acusado de ser o responsável pela morte da paciente Flávia de Oliveira Rosa, de 23 anos, durante um procedimento de lipoaspiração em uma clínica de Goiânia.

A decisão pelo novo julgamento foi unânime e acatou alegações de que houve falha no procedimento de formulação das perguntas. O relator do processo, Jairo Ferreira Júnior, optou por anular o último julgamento, realizado em 2013, onde Marcelo Caron havia sido condenado a 13 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado.

O juiz se justificou dizendo que as perguntas devem ser claras e simples e não podem induzir o público a um juízo de interpretação. Jairo Ferreira Júnior alega que essa regra não foi levada em consideração na terceira pergunta feita ao réu.

A Cirurgia

Flávia morreu seis dias após ser submetida ao processo cirúrgico, no dia 12 de março. O ex-médico teria perfurado o fígado dela durante a lipoaspiração e dado alta a vítima. No dia seguinte Flávia começou a sentir dores e febre, quando a família decidiu levá-la ao hospital. Ela não resistiu e morreu antes de ser atendida.

Marcelo Caron também responde a mais 29 processos na Justiça. Os crimes são diversos e, entre eles, estão o de lesão corporal e de estelionato.