Após decisão de contra retirada de radares, juíza recebe ameaças

Magistrada de Brasília acionou o MPF e afirmou que “politizaram algo que é técnico”

Após sofrer ameaças nas redes sociais, a juíza da 5ª Vara Federal em Brasília responsável pela decisão liminar contra a retirada dos radares das rodovias federais, Diana Wanderlei, acionou o Ministério Público Federal (MPF). À Folha, ela disse ter sido vítima de ofensas, injúrias e calúnias.

Depois do governo Jair Bolsonaro (PSL) decidir pela retirada dos radares, esta foi suspensa por Diana, no último dia 10. A juíza solicitou, ainda, os estudos técnicos da equipe do presidente sobre a substituição dos equipamentos.

Ódio nas redes

O site O Antagonista replicou alguns dos comentários dirigidos à juíza.  “A empresa de radares deve ser do pai dela. Mas, agora com a carinha dela no Twitter, eu teria medo, hein?”, publicou um usuário.

Já a magistrada lamentou a situação, mas disse que não irá se intimidar. “Politizaram algo que é técnico, e a função deste juízo é técnica”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.